O ponto de vista de jovens mulheres de duas gerações sobre a possibilidade de manter o amor na conjugalidade

Jussara Abilio Galvão, Heloisa Moulin de Alencar, Ariadne Dettmann Alves

Resumo


Em uma perspectiva moral e ética, investigamos a concepção de mulheres sobre a possibilidade de os casais em geral manterem o amor na conjugalidade. Participaram desta pesquisa 15 mulheres entrevistadas por Alencar (1993) e 15 mulheres entrevistadas atualmente, entre 20 e 30 anos, casadas, sem filhos e, na classe média. Utilizamos um instrumento semiestruturado e priorizamos a análise qualitativa dos dados (DELVAL, 2002). Constatamos que a maioria das entrevistadas considerou a possibilidade de o amor permanecer na conjugalidade. Como justificativas, elas mencionaram, os sentimentos, e as entrevistadas, no passado, enfatizaram a experiência. Os problemas conjugais, a intolerância, a incompreensão e a abdicação somaram 18% dos argumentos indo de encontro à ética do cuidado e ao plano psicológico ético, que deve contemplar o eu e outrem na busca por uma vida boa. Este trabalho contribui para as pesquisas e fornece subsídios teóricos a psicólogos que trabalham com o tema em questão

Palavras-chave


Amor; Casamento; Virtude; Moral; Ética.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2017v38n2p159

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar