Atravessamentos alquímicos na Psicologia

Helton Marculino de Souza

Resumo


Objetiva-se, com o presente artigo, discutir as contribuições da Alquimia para o campo da Psicologia, em especial para a Psicologia Analítica como proposta de uma Psicologia Alquímica, cujos representantes aqui destacados são Carl Gustav Jung e James Hillman. Entende-se que os conhecimentos da Alquimia foram aplicados em áreas diversas, tais como metalurgia, química, filosofia, tendo uma aplicação possível no campo da Psicologia. Neste sentido, observa-se que, se para Jung os conceitos da Alquimia tecem conexões com os saberes propostos pela Psicologia Analítica, por outro lado Hillman se apropria destes conhecimentos paradesenvolver uma estratégia para utilização no campo da psicoterapia, propõe raciocinar alquimicamente. Assim, para este segundo autor, no exercício da Psicologia, os encontros com o paciente vão além da aplicação de teorias, constituindo-se como um “fazer-alma” no consultório. Isto é, mais do que traduzir símbolos, propõe-se o “ficar com a imagem”, com uma atenção tanto do paciente quanto do psicólogo para que as palavras expressas nesse diálogo não se tornem “palavras-coisas” ou sejam reduzidas a um significado único, que tende a inutilizar a imagem. Espera-se, por meio deste trabalho, fomentar o conhecimento dos profissionais acerca da Psicologia Analítica e Psicologia Alquímica, em suas conexões com a Alquimia e suas reverberações no campo da psicoterapia nestas abordagens

Palavras-chave


Psicologia Analítica; Alquimia; James Hillman

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2014v35n2p91

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar