Demandas contemporâneas da psicologia no setor público: reflexões winnicottianas sobre a tendência antissocial

Diana Pancini de Sá Antunes Ribeiro, Ana Lúcia Volpato, Jorge Luis Ferreira Abrão

Resumo


O presente artigo objetiva uma reflexão sobre a demanda contemporânea para psicologia em serviços públicos de saúde, especialmente aquela que se refere às crianças e adolescentes, e seus responsáveis, em que o conceito de tendência antissocial é a queixa principal. Para alcançar o desenvolvimento da presente reflexão utilizou-se da metodologia psicanalítica, de forma que práticas de um projeto de extensão universitária permitiram a compreensão psicanalítica do conceito de tendência antissocial e sua repercussão na atualidade da saúde coletiva. A partir desta metodologia sustenta-se a discussão deste trabalho no conceito de tendência antissocial de Winnicott e de um breve histórico sobre a inserção da psicologia no setor público, além da apresentação da proposta do projeto de extensão universitária. Desta forma, os resultados indicam a possibilidade de se construírem enquadres clínicos outros que não somente o da psicoterapia em setting individual para manifestações de tendência antissocial em crianças e adolescentes considerados antissociais. Após análise do conceito, da inserção de psicólogos na saúde pública e dos enquadres clínicos propostos pelo projeto de extensão universitária, conclui-se pela pertinência de um olhar psicanalítico winnicottiano, no qual o ambiente seja considerado no tratamento oferecido às crianças e adolescentes considerados antissociais.

Palavras-chave


Psicanálise; Winnicott; Tendência antissocial; Serviço público de saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2014v35n2p21

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar