Phototherapy: the feelings of mothers of newborns undergoing this therapy

Souza Jesus Juliana, Felipe Olimpia Adriana, Terra Souza Fábio

Resumo


Este estudo, de abordagem qualitativa e fenomenológica, teve o objetivo de compreender os sentimentos das mães de recém-nascidos submetidos a tratamento fototerápico em um Hospital de médio porte, localizado no estado de Minas Gerais. Os sujeitos do estudo foram seis mães, cujos neonatos encontravam-se em tratamento fototerápico na maternidade. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, realizadas entre os meses de junho e agosto de 2010. A análise das entrevistas permitiu a construção das seguintes unidades de significado: déficit de conhecimento acerca da patologia e tratamento fototerápico; separação do binômio mãe-filho e o sentimento das mães ao vivenciar a fototerapia. Percebe-se que a falta de conhecimento da icterícia e de como é realizado o seu tratamento desencadeia sentimentos como a angustia e a insegurança entre as mães. Aspectos técnicos da terapia, principalmente a utilização do óculos de proteção pelo recém-nascido durante a fototerapia e o afastamento entre mãe e filho durante o tratamento, foram apontados como causadores de sofrimento nas mães por não permitirem o contato visual e físico como seus filhos. Os profissionais de saúde devem se preocupar em proporcionar uma assistência humanizada, que envolva as mães nos cuidado ao recém-nascido mesmo em fototerapia, para, assim, amenizar o seu sofrimento e proporcionar o fortalecimento do vinculo afetivo entre mãe e filho.


Palavras-chave


Enfermagem; Icterícia; Fototerapia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2012v33n2p231

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367