Exposição aguda ao Metilmercúrio em ratos em desenvolvimento: mini-revisão

Paula Rodrigues Bitencourt, Faida Hussein Abdalla, Karine Santos De Bona, Maria Beatriz Moretto

Resumo


Mercúrio (Hg) está presente no ambiente em três diferentes formas químicas: elementar (Hg0), inorgânico e orgânico, sendo que a sua distribuição, toxicidade e metabolismo são dependentes de sua forma química. A exposição oral ao consumo de peixes e alimentos contaminados é a principal forma de exposição humana ao metilmercúrio (MeHg), um poluente ambiental que é absorvido por ingestão, inalação e através da pele. O MeHg é um potente neurotóxico, especialmente para o cérebro em desenvolvimento. Neste estudo, foram examinados os principais efeitos da exposição ao MeHg durante o desenvolvimento salientando os mecanismos bioquímicos envolvidos nestes processos. Também foram apresentados recentes resultados sobre o uso de extratos de plantas medicinais que atenuaram os efeitos adversos deste metal. Deste modo, estes dados reforçam a toxicidade do MeHg durante o desenvolvimento e sugerem possíveis caminhos para futuras intervenções terapêuticas.


Palavras-chave


Metilmercúrio; Ratos; Desenvolvimento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2013v34n2p137

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367