Beta-lactamase de espectro estendido: prevalência e comparação de métodos de screening

Rosângela Caminotto Barbosa, Claudia Maria Correia e Silva, Silvia Michiko Hizukn, Emerson Danguy Cavassin, Márcia Regina Eches Perugini

Resumo


As Beta-lactamases de Espectro Ampliado podem produzir uma oculta, mas clinicamente significante resistência à cefalosporinas de amplo espectro e aztreonam. Estas enzimas são produzidas principalmente por Klebsiella sp e Escherichia coli. Critérios interpretativos modificados para um grupo chave de antibióticos ou o uso de testes especiais de susceptibilidade antimicrobiana devem ser usados para aumentar a sensibilidade de detecção das ESBL. 735 isolados de E. coli e 192 de Klebsiella sp foram estudados para determinar a prevalência de ESBL no Hospital Universitário Regional Norte do Paraná. Os resultados obtidos indicam 2,99% de E. coli e 36,46 % de Klebsiella sp produtoras de ESBL. Usando um grupo de 156 amostras de E. coli e 74 de Klebsiella sp, comparou-se 3 métodos de triagem para detecção de ESBL teste de sinergia de duplo disco, disco difusão (ambos realizados com ceftazidima. cefotaxima e aztreonam) e painel de microdiluição MicroScan realizado com ceftazidima, ceftriaxona e cefotaxima). Os resultados deste estudo sugerem que os 3 métodos de triagem podem ser igualmente utilizados porlaboratórios clínicos em isolados de E. coli e Klebsiella sp.



Palavras-chave


Beta-Iactamase; Beta-Iactamases de Espectro Ampliado (ESBL); Beta-Iactâmicos; Mecanismos de resistência; Klebsiella sp; Escherichia coli.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1999v20n2p17

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367