Rotura prematura espontânea das membranas

Fernando Mangieri Sobrinho, René Gross, Julia Tomoko Sakuma, Milton Yoshio Narita

Resumo


Estudou-se, retrospectivamente. 233 pacientes com rotura prematura de membranas (RPM) de um lotal de 1821 partos (17.7%). Em torno de 50% das pacientes tinham até 3 cm de dilatação do colo na admissão e 38,6% acorreram ao serviço dentro de 6 horas da amniorrexe. A resolução do parto ocorreu dentro de 24 horas em 82,6% dos casos. Apenas 25.5% das RPM ocorreram antes das 37 semanas de gestação e 26.3% dos çonceptos foram de baixo peso. O índice de cesárea foi de 20,6% e o índice de infecção 15,4% com o obituário perinatal de 4.3%. São analisados outros dados e feitas considerações visando contribuir para diminuir a morbietalidade maternofetal desta importante patologia obstétrica.



Palavras-chave


Ammorexe; Prematuridade; Morbiletalidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1990v11n2p125

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367