Intoxicação em equinos por micotoxinas produzidas por Fusarium moniliforme no norte do Paraná

Elisa Yoko Hirooka, Neusa Maria Alves Viotti, Lúcia M. V. Soares, Amauri Alcindo Alfieri

Resumo


Leucoencefalomalácia comprometendo equino na região Norte do Paraná, associado à ingestão de milho mofado no 2° semestre de 1985 é descrita neste trabalho. O estudo dos sintomas clínicos, dados anátomo-histopatológicos, analise microbiológica e detecção de micotoxinas foi realizada nos casos ocorridos. Os sintomas clínicos foram predominantemente de origem nervosa, caracterizados principalmente por incoordenação motora, cegueira, depressão e hiperexcitação, ocorrendo a morte do animal dentro de 18 a 36 horas. No exame macroscópico do cérebro observou-se áreas de malácia, comprometendo a substância branca com amolecimento e cavitação. Estas áreas, no exame histopatológico, apresentavam necrose liquefativa, caracterizadas por células em degeneração, congestão de vasos, intenso edema e infiltrados perivasculares de células mono e polimorfonucleares. Nas amostras de ração foi observada alta contaminação fúngica, variando de 10S a IO7 UFC/g de produto, isolando-se predominantemene Fusarium moniliforme. Quanto à presença de micotoxinas (zearalenona, estcrigmatocistina, ocratoxina A e aflatoxinas B1, B2, G1 e G2) na ração, zearalenona foi detectada em ditas amostras nas concentrações de 19,0 mg/Kg (ração mista) e 0, 7mg/Kg (resíduo de mitho), não detectando-se outras toxinas.



Palavras-chave


Micotoxina; Fusarium moniliforme; Leucoencefalomalácia equina; Zearalenona.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1988v9n3p135

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367