Avaliação do efeito protetor de componentes peptídicos na TNAse estafilocócica

Elisa Yoko Hirooka, Yuko Yoshimoto, Eduardo Vicente, Maria de Lourdes R. de Souza

Resumo


A presença de termonuclease (TNAse) nos alimentos indica o desenvolvimento abundante de S. aureus, o suficiente para produzir enterotoxinas em quantidade crítica e desencadear intoxicação alimentar. O método de TATINI tem sido utilizado para a extração de TNAse nos alimentos, porém observou-se perda de atividade enzimática durante o processo. O efeito protetor de proteose peptona n° 2 e 3, triptona, triptose, extrato de carne, levedura, albumina bovina e infusão de coração e cérebro em concentrações de 0,1 a 5,0 % foi analizado sobre 500 ng/ml de nuclease em água e tampão tris. A proteose peptona n° 3 seguido de extrato de carne apresentou melhor efeito protetor sobre TNAse. A albumina bovina a 0,1 e 0,5% proporcionou efeito protetor sobre TNAse recém extraída, entretanto observou-se redução acentuada de atividade após 24 horas, quando comparada com os componentes analisados. Recomenda-se a substituição de albumina bovina por prótese peptona n° 3 ou extrato de carne a 1,0% para a ressuspensão de TNAse extraída diretamente de alimentos.



Palavras-chave


TNAse; S. aureus; Enterotoxinas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1987v8n2p72

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367