Estrutura de oferta e desenvolvimento agrícola: um modelo de equações recursivas

José Geraldo Teixeira, Hideharu Carlos Ikehara, Sergio Alberto Brandt

Resumo


 

A hipótese central desta pesquisa é a de que as elasticidades de oferta agrícola variam entre tipos de agricultura (moderna, tradicionais e de fronteira) e orientações de produção (autoconsumo e comercial). Para verificação empírica da hipótese, usa-se um modelo recursivo de área e rendimento que admite a possibilidade de interação entre essas duas variáveis. Os dados básicos utilizados são séries temporais (1947-77) e o método de ajustamento é o de mínimos quadrados ordinários. O teste de Chow é usado para comparação das elasticidades de resposta agrícola. Os resultados obtidos indicam a impossibilidade de se estabelecer na ordenação geral das elasticidades de resposta e das respostas de rendimento em relação à área, para os diferentes tipos de agricultura e de produto. Constatou-se também que o pressuposto geralmente aceito de que a elasticidade de resposta de área é um limite inferior da elasticidade de oferta não é, em geral, válido. Politicas agrícolas e de preços deveriam considerar as diferenças em graus de resposta de área e de rendimento, entre tipos de agricultura e entre orientações da produção.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1981v2n8p183

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367