Doença de Chagas por transfusão de sangue em Londrina

José Luis da Silveira Baldy

Resumo


 

Nesta pesquisa apresenta-se o resultado de inquérito sorológien realizado em 1975, em dois bancos de sangue de Londrina-Paraná, e os primeiros seis casos agudos de doença de Chagas pós-transfusional, diagnosticados no Paraná Chama-se a atenção para a importância, no Brasil e, em particular, no Norte do Paraná, da doença de Chagas transmitida por transfusão de sangue. Reações sorológicas para o diagnóstico de tripanosomiase americana foram positivas em 7,4% dos 4.500 candidatos a doadores examinados nos dois bancos de sangue estudados. Seis casos de doença de Chagas aguda pós-transfusional - um prócer dente de Cianorte, outro de Cornélio Procópio e os demais de Londrina, estado do Paraná, foram diagnosticados. Dois dos pacientes faleceram e os outros quatro foram tratados com nifurtimox. Enfatiza-se a discrepância entre o elevado índice de positividade de reações sorológicas para tripanosomiase americana, em diversas regiões do país, e o número pequeno de casos de doença de Chagas pós-transfusional relatados no Brasil Há necessidade de maior rigor nas indicações de transfusão de sangue. Devem-se adotar medidas profiláticas adequadas e estar atento ao diagnóstico de eventuais casos agudos de doença de Chagas pós-transfusional que deverão ser tratados com nifurtimox ou benzo-nidazol.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.1978v1n2p33

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367