Porque e como racionalizar o uso de sangue alogênico em cirurgia

Elbens Marcos Minoreli de Azevedo, Aryeh Shander

Resumo


Os autores avaliam a utilização do sangue alogênico em procedimentos cirúrgicos e suas repercurssões em centros médicos norte-americanos. Evidenciam aspectos fisiológicos e fisiopatológicos na prática transfusional, como a ocorrência de processos infecciosos e imunológicos, salientando a atual intercorrência denominada “Lesão Pulmonar Agúda Relacionada a Transfusões” (TRALI), que têm preocupado a comunidade científica por ser subdiagnosticada e subnotificada. Os autores mostram ainda, que existem alternativas ao uso de sangue alogênico que são seguras, efetivas e simples, as quais tem sido difundidas e possivelmente tornar-se-ão a conduta padrão em centros médicos de excelência.

 

 


Palavras-chave


Medicina e Cirurgia sem Sangue; Alternativas Hemotransfusionais.

Texto completo:

Sem título


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2002v23n1p87

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367