O consumo de cálcio e a osteoporose

Raquel Bedani, Elizeu Antonio Rossi

Resumo


A osteoporose é caracterizada pela redução de massa óssea e prejuízo da microarquitetura do tecido ósseo, com um conseqüente aumento da fragilidade óssea e susceptibilidade à fratura. Nas mulheres, a osteoporose está associada à menopausa, uma vez que a diminuição de estrógenos acelera a perda óssea. Além do componente hormonal, essa doença pode apresentar outras causas, dentre elas: mecânicas, genéticas e nutricionais. Um dos componentes nutricionais de grande importância é o cálcio. Cerca de 99% do conteúdo de cálcio corpóreo se encontra no esqueleto, conferindo rigidez, e representando uma fonte prontamente disponível para a manutenção dos níveis normais de sua concentração plasmática. Por essa razão, o cálcio é o nutriente mais estudado na área de saúde óssea e é considerado importante na prevenção e tratamento da osteoporose. Vários estudos têm mostrado uma relação positiva entre a suplementação da dieta com cálcio e a redução da perda óssea em mulheres na pós-menopausa. Todavia, algumas dúvidas com relação a esse efeito ainda persistem. Dessa forma, esse trabalho tem como objetivo realizar uma revisão sobre a relação entre consumo de cálcio e a saúde óssea, dando enfoque para a prevenção e/ou tratamento da osteoporose em mulheres.

 


Palavras-chave


Consumo de Cálcio; Osteoporose; Pós-menopausa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2005v26n1p3

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367