Nível de conhecimento sobre diabetes e perfil epidemiológico dos pacientes diabéticos atendidos no Hospital Electro Bonini de Ribeirão Preto/SP

Carolina Furlan, Bruno Holtz Marinho, Breno Reis Almeida, Renan Coelho Neves, Isabele Sartori Leone, Francyne Veiga Reis Cyrino

Resumo


Avaliamos o perfil epidemiológico e o conhecimento dos pacientes com diagnóstico de diabetes mellitus (DM) atendidos em ambulatórios na cidade de Ribeirão Preto – SP. Trata-se de um estudo de pesquisa básica, de campo, quantitativa, transversal, observacional e descritiva, realizada por entrevista estruturada. O instrumento da pesquisa foi constituído de um questionário, com perguntas objetivas. A amostra total foi composta de 191 participantes. Quanto ao grau de escolaridade, apenas 13,1% apresentaram curso superior, 63,9% cursaram apenas o ensino fundamental e 23% o ensino médio. Em relação ao tempo de doença, 22 tiveram o diagnóstico há menos de um ano, 62 entre 2-5 anos, 43 entre 6-10 anos e 64 há mais de 10 anos. Identificamos quanto às consultas pela oftalmologia, que 54% faz avaliação anual, 22% semestral, 12% procuram o oftalmologista somente quando têm queixa visual e 12% relataram ter feito apenas consulta. Sobre as complicações que o DM pode ocasionar, 3,1% relataram impotência sexual, 8,3% infarto agudo do miocárdio, 16,3% falência renal, 15,2% amputação de membros e 57,1% cegueira. Em relação a perguntas sobre o autocuidado, um elevado percentual de pessoas não o realiza de forma adequada. Em conclusão, a maioria dos pacientes, apesar do acompanhamento multidisciplinar, apresentou pouco conhecimento sobre o DM e suas complicações. Para que haja aderência adequada ao tratamento e se possam evitar as complicações relativas ao diabetes, é fundamental a disseminação da informação a respeito da doença e cuidado adequado

Palavras-chave


Autocuidado; Diabetes Mellitus; Epidemiologia; Retinopatia Diabética.

Texto completo:

PDF

Referências


World Health Organization. Definition, diagnosis and classification of diabetes mellitus and its complications : report of a WHO consultation. Part 1, Diagnosis and classification of diabetes mellitus. Geneva: World Health Organization; ?1999 [citado 2018 ago 14]. Disponível em: http://www.who.int/iris/handle/10665/66040

International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas. 8th ed. Bruxelas, Bélgica: International Diabetes Federation; 2017 [citado 2018 ago 14]. Disponível em: http://diabetesatlas.org/IDF_Diabetes_Atlas_8e_interactive_EN/

Zhang P, Zhang X, Brown J, Vistisen D, Sicree R, Shaw J, et al. Global healthcare expenditure on diabetes for 2010 and 2030. Diabetes Res Clin Pract. 2010;87(3):293-301. https://doi.org/10.1016/j.diabres.2010.01.026

Sabrosa NA, Sabrosa AS, Gouvea KC, Gonçalves Filho P. Tratamento cirúrgico da retinopatia diabética. Rev Bras Oftalmol. 2013;72(3):204-209. doi: 10.1590/S0034-72802013000300015

Vigitel Brasil. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2017. Brasília: Ministério da Saúde, 2017 [citado 2019 fev 13]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2017_vigilancia_fatores_riscos.pdf

Almeida-Pititto B, Dias ML, Moraes ACF, Ferreira SR, Franco DR, Eliaschewitz FG. Type 2 diabetes in Brazil: epidemiologyand management. Diabetes Metab Syndr Obes y. 2015; 2015(8):17–28. doi: 10.2147/DMSO.S72542

Leasher JL, Bourne RR, Flaxman SR, Jonas JB, Keeffe J, Naidoo K, et al. Global estimates on the number of people blind or visually impaired by diabetic retinopathy: a meta-analysis from 1990 to 2010. Diabetes care. 2016; 39(9):1643-1649. https://doi.org/10.2337/dc15-2171

Ávila M, Alves MR, Nishi M. As condições de saúde ocular no Brasil. 1ª ed. São Paulo: Conselho Brasileiro de Oftalmologia; 2015.

Engerman RL. Pathogenesis of diabetic retinopathy. Diabetes. 1989;38(10):1203-1206.

Mendes IAC, Trevizan MA. A necessidade de aprendizagem em pacientes crônicos. Enferm Atual. 2003; 3(18): 4-7.

Dias AFG, Vieira MF, Rezende MP, Oshima A, Muller MEW, Santos MEXD, et al. Perfil epidemiológico e nível de conhecimento de pacientes diabéticos sobre diabetes e retinopatia diabética. Arq Bras Oftalmol. 2010;73(5):414-418. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492010000500005

Haferkorn V. Assessing individual learning needs as a basis for patient teaching. Nurs Clin North Amer, 1971; 6(1): 199-209.

Boelter MC, Azevedo MJD, Gross JL, Lavinsky J. Fatores de risco para retinopatia diabética. Arq Bras Oftalmol [Internet]. 2003 [citado 2019 fev 13];66(2): 239-247. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/37408

American Diabetes Association (ADA). Standards of Medical Care in Diabetes—2013. Diabetes Care [Internet]. 2013 [citado 2019 fev 13]; 36(Suppl 1): 11-66. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3537269/




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2019v40n2p197

Direitos autorais 2019 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367