Caracterização sociodemográficas de mães e recém-nascidos atendidos em hospital universitário da região oeste do Paraná

Cláudia Silveira Viera, Vanessa Cappellesso Horewicz, Daiane Ribeiro dos santos, Rosangela Aparecida Pimenta Ferrari, Maria Aparecida Baggio

Resumo


Objetivo: caracterizar as mulheres e crianças atendidas em hospital universitário na região oeste do Paraná segundo variáveis socioeconômicas e demográficas identificando sua classificação de risco conforme preconiza o Programa Rede Mãe Paranaense. Material e método: estudo quantitativo, exploratório, descritivo, de desenho transversal. A coleta de dados foi em prontuários e entrevistas com as puérperas. Análise estatística descritiva. Resultados: obteve-se amostra de 385 puérperas, com idade média de 27 anos, a maioria 143 (37,14%) possui ensino médio completo, a renda média foi de até 2 salários mínimos para 183 (47, 53%), 195 (50,65%) foram classificadas como risco habitual e 94 (24,42%) como alto risco. Do total da amostra, 118 apresentaram doenças adquiridas, sendo prevalentes infecções do trato urinário em 36 (30,51%); Hipertensão em 25 (21,19%) e Diabetes Mellitus em 17 (14,41%). Conclusão: a população atendida pelo referido hospital, caracteriza-se por mulheres jovens, baixa renda e de risco habitual. Apesar do hospital ser referência para alto risco, a maioria dos partos foi normal. Este estudo pode embasar uma gestão mais adequada e direcionada às necessidades das mulheres.

Palavras-chave


Gestante; Recém-Nascido; Continuidade da Assistência ao Paciente; Perfil; Enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.459, de 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a rede cegonha. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011.

Cruz MM. Avaliação de políticas e programas de saúde: contribuições para o debate. In: Mattos RA, Baptista TWF, editores. Caminhos para análise das políticas de saúde. Porto Alegre: Rede Unida; 2015. P. 285-317.

Secretaria de Estado da Saúde (PR). Programa Rede Mãe Paranaense. Linha guia. Curitiba: SESA-PR; 2018.

Correio RAS, Correio LF, Correio MA. Perfil epidemiológico dos nascidos vivos no município de Chapecó – SC. RECIIS - Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde [Internet]. 2016 [citado 2018 nov 2]. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/16959/2/11.pdf

Souza FS, Alverenga DBM, Santos, BNS, Pinheiro, IF, Salles, PV. Perfil demográfico e levantamento dos conhecimentos sobre aleitamento materno de puérperas atendidas em uma maternidade pública da região metropolitana de Belo Horizonte: resultado de um projeto de extensão. Conecte-se! Rev Interdisciplinar de Extensão [Internet]. 2017 [citado 2018 nov 2]. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/conecte-se/article/view/16195/12363

Santana MCCP, Goulart BNG, Chari BM. Caracterização das puérperas assistidas pela fonoaudiologia de umas maternidade escola. Pró-fono Revista de Atualização Científica [Internet]. 2010 [citado 2018 nov 4]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pfono/v22n3/a23v22n3.pdf

Rego MAS, França EB, Travassos APA, Barros FC. Avaliação do perfil de nascimentos e óbitos em hospital de referência. Jornal de Pediatria [Internet]. 2010 [citado 2018 nov 2]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jped/v86n4/a09v86n4.pdf

Dias E, Anjos G, Alves L, Pereira SN, Campos L. Perfil socioeconômico e gineco-obstétrico de gestantes de uma Estratégia de Saúde da Família do Norte de Minas Gerais. Revista Saúde e Desenvolvimento [Internet], 2018 [citado 2019 mar 10]. Disponível em: https://www.uninter.com/revistasaude/index.php/saudeDesenvolvimento/article/viewFile/884/513

Moreira MEL, Gama SGN, Pereira APE, Silva AAM, Lansky S, Pinheiro RS, et al. Praticas de atenção hospitalar ao recém-nascido saudável no Brasil. Cad Saúde Pública [Internet]. 2014 [citado 2018 nov 1]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0128.pdf

Domingues RMSM, Dias MAB, Pereira MN, Torres JA, D’orsi E, Pereira APE, et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2014 [citado 2018 nov 1]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0101.pdf

Secretaria de Estado da Saúde (PR). Programa Rede Mãe Paranaense. Linha guia. Curitiba: SESA-PR; 2015.

Siqueira, MLB, Silva RA, Mendes SO, Aquino LMMA, Alves SM, Medeiros, MO. Avaliação de infecção urinária em gestantes atendidas pela unidade municipal de saúde de Rondonópolis, MT. Biodiversidade [Internet], 2018[citado 2019 mar 10]. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/7515/4954. pdf

Lima, J P, Veras, LLN, Pedrosa, ÉKFS, Oliveira, GDSC, Guedes, MVC. Perfil socioeconômico e clínico de gestantes com Síndrome Hipertensiva Gestacional. Rev Rene [Internet], 2018[citado 2019 mar 10]. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/33813/pdf ../../../../../../../../Users/pc acer/Downloads/artículo_redalyc_324054783029.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2019v40n2p173

Direitos autorais 2019 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367