Utilização de um meio cromogênico e da técnica de semi-nested PCR para identificação de espécies de Cândida

Narjara do Carmo Oliveira, Rita de Cássia Pontello Rampazzo, Mariana Caldas Minari, Paulo Roberto Ceridório Corrêa, Marcelo Carneiro, Terezinha Inez Estivalet Svidzinski, Luciana Furlaneto Maia, Sueli Fumie Yamada-Ogatta

Resumo


Nesse trabalho, o meio cromogênico CHROMagar Candida e a técnica de semi-nested PCR (sn-PCR) foram comparados quanto a sua capacidade de identificar a espécie de 52 isolados clínicos de Cândida sp. Com o emprego do meio cromogênico, 39 (75%) isolados foram identificados presuntivamente como C. albicans (n = 22), C. glabrata (n = 9), C. tropicalis (n = 5) e C. krusei (n = 3). Treze isolados (25%) não puderam ser identificados. Por meio da técnica de sn-PCR, que se baseia na amplificação de uma região do cluster gênico do RNA ribossomal (5.8S – 28S), 43 (83%) isolados foram identificados como C. albicans (n = 24), C. glabrata (n = 11), C. tropicalis (n = 5), C. parapsilosis (n = 3) e nove isolados não puderam ser identificados em nível de espécie. Entre os 52 isolados analisados, 34 (65,4%) apresentaram resultados concordantes pelos dois métodos, 12 (23,1%) apresentaram resultados discrepantes, e 6 (11,5%) não puderam ser identificadas por nenhuma das duas metodologias. Os resultados indicam que ambas as técnicas apresentam limitações, mas o método de sn-PCR é mais adequado que o meio cromogênico para a identificação de espécies do gênero Candida, devido ao menor número de isolados que não puderam ser identificados.


Palavras-chave


Candida sp; Identificação; Meio CHROMagar; Semi-nested-PCR.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2006v27n2p125

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367