Resistência a antibióticos de Staphylococcus aureus isolados de dietas enterais em um hospital público de Minas Gerais

Joice de Fátima Laureano Martins, Aurélia Dornelas de Oliveira Martins, Regina Célia Rodrigues Miranda Milagres, Nélio José de Andrade

Resumo


Dietas enterais constituem um excelente meio para crescimento microbiano, devido à sua composição rica em nutrientes e ao tempo de exposição à temperatura ambiente durante a administração. Dentre as bactérias patogênicas que podem ser encontradas nessas dietas, cita-se o Staphylococcus aureus, microrganismo oportunista encontrado na microbiota da membrana mucosa (bucal, nasal e oral) em seres humanos. Amostras de dieta enteral pós-administração e do ambiente utilizado para o seu preparo foram coletadas em um hospital público e analisadas quanto à presença de S. aureus. A contaminação foi evidenciada em 83% das amostras de dietas enterais, e, quanto ao ambiente, os valores encontrados se apresentam de acordo com a recomendação da APHA. As cepas isoladas foram submetidas a diferentes antibióticos, apresentando resistência à tetraciclina (100%), eritromicina (90,9%), cloranfenicol (59,1%), estreptomicina (22,72%), penicilina (18,8%), vancomicina (13,63%), ampicilina (13,63%), amoxilina (9,09%) e gentamicina (4,54%). Devido à versatilidade no desenvolvimento de resistência a vários agentes antimicrobianos S. aureus sobrevive em ambientes hospitalares e pode ser difundido entre os pacientes.


Palavras-chave


Dieta enteral; Staphylococcus aureus; Antibióticos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2007v28n1p9

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367