Influência da intensidade da dor sobre as respostas nas escalas unidimensionais de mensuração da dor em uma população de idosos e de adultos jovens

Adriano Polican Ciena, Rutineia Gatto, Vanessa Cerqueria Pacini, Vivian Viani Picanço, Ismaelino Mauro Nunes Magno, Eduardo Alexandre Loth

Resumo


A dor é definida como uma desagradável experiência sensorial e emocional associada a um dano atual ou potencial do tecido, ou descrita em termos deste dano, recebendo a denominação de ”5º sinal vital”. Objetivou-se, neste estudo, avaliar a influência da intensidade da dor sobre as respostas nas escalas unidimensionais de mensuração de dor em idosos e adultos jovens internados no Hospital Universitário do Oeste do Paraná. Foi avaliada a dor de dois grupos de pacientes, idosos (GI) e adultos jovens (GII), contendo 100 indivíduos cada grupo, do período de abril a julho de 2006, que foram selecionados conforme critérios de inclusão e exclusão da pesquisa. A avaliação da dor foi realizada através das escalas: Escala Visual Analógica (EVA), Escala Visual Numérica (EVN) e Escala de Fáceis (EF). Os resultados apontaram forte nível de concordância entre as escalas no grupo GII, apresentando significância estatística (p<0,05) nas três classificações de dores, porém no grupo GI observou-se fraca concordância entre as escalas (p<0,05) da EVN na classificação da dor leve. Conclui-se que os resultados demonstraram a existência de influência da intensidade de dor sobre as respostas das escalas no grupo GI, porém no grupo GII não se observou influência da intensidade da dor sobre as respostas.


Palavras-chave


Dor; Medição da dor; Idoso.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2008v29n2p201

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367