Remoção de propágulos em fragmento de floresta nativa e reflorestamentos numa região de Floresta Ombrófila Mista do estado do Paraná

Yves Rafael Bovolenta, Bianca Buck Perina, Vanessa Patrícia Pereira Rosa, Ana Paula Liboni, Diego Resende Rodrigues, José Antonio Pimenta, Edmilson Bianchini

Resumo


Uma questão que tem sido discutida é o papel das monoculturas florestais exóticas na manutenção da fauna nativa e vários estudos têm mostrado que a remoção de propágulos é menor nesses ambientes. O presente trabalho comparou a taxa de remoção de propágulos (pinhão, amendoim, milho) entre áreas de Floresta Nativa (FN), Reflorestamentos de Pinus taeda L. (RP), de Eucalyptus saligna Sm. (RE) e Araucaria angustifolia (Bertol) Kuntze (RA). Na FN, todos os propágulos foram removidos e não houve diferença significativa na remoção de pinhão entre a FN e o RA. A remoção de propágulos nessas áreas diferiu da remoção no RP e RE. No RP, houve alta remoção de amendoim, enquanto que o RE apresentou os menores valores de remoção dos três propágulos. As baixas taxas de remoção nos reflorestamentos de pinus e eucalipto refletem a menor exploração desses habitas pela fauna, o que pode estar relacionado com um subosque pouco estruturado.


Palavras-chave


Araucaria; Conservação; Eucalyptus; Interação; Pinus; Predação; Subosque.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2011v32n1p29

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367