Autocuidado de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2

Katyucia Oliveira Crispim de Souza, Simonize Cunha Barreto de Mendonça, Liudimilla Miyar Otero, Márcia Ferreira Cândido de Souza, Samuel de Oliveira Ribeiro

Resumo


Objetivo: Classificar o autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 atendidos em um centro ambulatorial de Aracaju/SE. Método: Estudo transversal e descritivo com abordagem quantitativa. Foi aplicado um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (INAAP-DM2), que contempla seis domínios, o quais avaliam diversos aspectos da doença e seu autocuidado, sendo calculado um escore geral por domínio, com as seguintes classificações: Totalmente Compensatório (escore 1 ou 2) – paciente é incapaz de engajar-se nas ações de autocuidado terapêutico; Parcialmente Compensatório (escore 3) - paciente é capaz de aprender, porém necessita do profissional e/ou familiar para desempenhar as ações de autocuidado e Apoio-Educação (escore 4 ou 5) - paciente é capaz de aprender e desempenhar sozinho as ações de autocuidado terapêutico. O teste t-Student foi aplicado para comparação entre médias de amostras independentes das variáveis sociodemográficas, com nível de significância de 5%. Resultados: Dos 73 entrevistados, 5 (6,8%) foram classificados como totalmente compensatórios, 66 (90,4%) como parcialmente compensatórios, e 2 (2,8%) como apoio-educação. Não houve diferença estatística significativa na correlação dos parâmetros sociodemográficos analisados. Conclusão: Os resultados reforçam a necessidade de melhoria nas ações de educação em saúde por parte dos profissionais de saúde, além de, melhorar a compreensão dos sentimentos e comportamentos da pessoa diabética, afim de promover a aceitação de sua condição crônica de saúde e, consequentemente, a adoção de hábitos saudáveis

Palavras-chave


Autocuidado; Diabetes Mellitus tipo 2; Conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


Shaw JE, Sicree RA, Zimmet PZ. Diabetes Atlas. Global estimates of the prevalence of diabetes for 2010 and 2030. Diabetes Research and Clinical Practice. 2010 Jan; 87(1): 4-14.

Whiting DR, Guariguata L, Weil C, Shaw J. Diabetes Atlas. IDF Diabetes Atlas: Global estimates of the prevalence of diabetes for 2011 and 2030. Diabetes Research and Clinical Practice. 2011 Dec; 94(3): 311-21.

International Diabetes Federation. IDF The IDF Diabetes Atlas. 7 ed. [Internet] 2015. [acesso em 21 set 8] Disponível em: http://www.idf.org/diabetesatlas/

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

American Association of Diabetes Educators (AADE). Guidelines for the Practice of Diabetes Self-Management Education and Training. Chicago: 2011.

Roxas RC, Nicodemus Jr N. Adherence to self-care behavior in patients diagnosed with type 2 diabetes mellitus in the outpatient department of the philippine general hospital. JAFES. 2013;28(2): 134-42.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Oliveira, JEP, Vencio, S, organizadores. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016). São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016.

Stacciarini TSG, Haas VJ, Pace AE. Fatores associados à auto-aplicação da insulina nos usuários com diabetes mellitus acompanhados pela Estratégia Saúde da Família. Cad. Saúde Pública. 2008 Jun; 24(6): 1314-22.

Ortiz LGC, Cabriales ECG, González, JGG, Meza MVG. Condutas de autocuidado e indicadores de saúde em adultos com diabetes tipo 2. Rev. Latino-Am. Enf. 2010 jul/ago; 18(4): 1-7.

Curcio R, Lima MHM, Alexandre NMC. Instrumentos relacionados ao diabetes mellitus adaptados e validados para a cultura brasileira. Rev. Eletr. Enf. 2011 abr/jun; 13(2): 331-7.

Mendonça SCB, Zanetti ML, Sawada NO, Barreto IDCB, Andrade JS, Otero LM. Construção de um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2. Rev Latino-Am. Enfermagem. 2017; 25e2890.

Iser BPM, Malta DC, Bernal RTI, Szwarcwald CL, Duncan BB, Schmidt MI. Factors associated with self-reported diabetes according to the 2013 National Health Survey. Rev Saude Publica. 2017 jun 1; 51(suppl 1):12s. doi: 10.1590/S1518-8787.2017051000011.

Botton A, Cúnico SD, Strey MN. Diferenças de gênero no acesso aos serviços de saúde. Problematizações necessárias. Mudanças - Psicologia da Saúde. 2017 jan/jun; 25(1): 67-72.

Collins GS, Mallett S, Omar O, Yu LM. Developing risk prediction models for type 2 diabetes: a systematic review of methodology and reporting. BMC Med. 2011 Sep 8; 9(103): 1-14. doi: 10.1186/1741-7015-9-103.

Torres HC, Pace AE, Stradioto MA. Análise sociodemográfica e clínica de indivíduos com diabetes tipo 2 e sua relação com o autocuidado. Cogitare Enferm. 2010 jan/mar; 15(1): 48-54.

Baquedano IR, dos Santos MA, Teixeira CR, Martins TA, Zanetti ML. [Factors related to self-care in diabetes mellitus patients attended at emergency service in Mexico]. Rev Esc Enferm USP. 2010 dec; 44(4): 1017-23. Portuguese. PubMed PMID: 21337785.

Rodrigues FFL, Santos MA, Teixeira, CRS, Gonela JT, Zanetti, ML. Relação entre conhecimento, atitude, escolaridade e tempo de doença em indivíduos com diabetes mellitus. Acta Paul. Enferm. 2012; 25(2): 284-90.

Cardoso MI, Moraes MAM, Pereira JG. Práticas de autocuidado desenvolvidas por diabéticos tipo 2 em uma unidade de saúde da família. Rev. Eletr. Gestão & Saúde. 2011; 2(1): 277-90.

Péres DS, Santos MA, Zanetti, ML, Ferronato, AA. Dificuldades dos pacientes diabéticos para o controle da doença: Sentimentos e Comportamentos. Rev Lat Am Enferm. 2007; 15(6): 1105-12.

Xavier ATF, Bittar DB, Ataíde MBC. Crenças no autocuidado em diabetes - implicações para a prática. Texto Contexto Enferm. 2009 Jan/mar;18(1):124-30.

Goddard M, Smith P. Equity of access to health care services: theory and evidence from the UK. Soc Sci Med. 2001 Nov; 53(9): 1149-62. Review. PubMed PMID: 11556606.

Assis MM, de Jesus WL. [Access to health services: approaches, concepts, policies and analysis model]. Cien Saude Colet. 2012 Nov; 17(11): 2865-75. Portuguese. PubMed PMID: 23175292.

Severo SB, Seminotti N. Integralidade e transdisciplinaridade em equipes multiprofissionais na saúde coletiva. Cien Saude Colet. 2010; 15(1): 1685-98.

Fertonani HP, Pires DE, Biff D, Scherer MD. The health care model: concepts and challenges for primary health care in Brazil. Cien Saude Colet. 2015 Jun; 20(6): 1869-78. doi: 10.1590/1413-81232015206.13272014.

Silva PA, Silva GML, Rodrigues JD, Moura PV, Caminha IO, Ferreira DKS. Atuação em equipes multiprofissionais de saúde: uma revisão sistemática. ConScientia e Saúde. 2013; 12(1): 153-60.

Francioni FF, Silva DGV. O processo de viver saudável de pessoas com diabetes mellitus através de um grupo de convivência. Texto Contexto Enferm. 2007 jan/mar; 16(1): 105-11.

Gil GP, Haddad MCL, Guariente MHDM. Conhecimento sobre diabetes mellitus de pacientes atendidos em programa ambulatorial interdisciplinar de um hospital universitário público. Semin.: Ciênc Biol Saúde. 2008 jul./dez; 29(2): 141-54.

Kisokanth G, Prathapan S, Indrakumar J, Joseph J. Factors influencing self-management of Diabetes Mellitus; a review article. J of Diabetol. 2013; 3(1): 1-7.

Anjos VA, Montanha D. Diabetes mellitus: conhecimento da doença e ações para prevenção do pé diabético. Rev UNILUS Ensino e Pesquisa. 2016 jan/mar; 13(30): 32-40.

Iquize RCC, Theodoro FCET, Carvalho KA, Oliveira MA, Barros JF, Silva A. Práticas educativas no paciente diabético e perspectiva do profissional de saúde: uma revisão sistemática. J Bras Nefrol. 2017; 39(2): 196-204. doi: 10.5935/0101-2800.20170034.

Grillo MFF, Neumann CR, Scain SF, Rozeno RF, Gross JL, Leitão CB. Efeito de diferentes modalidades de educação para o autocuidado a pacientes com diabetes. Rev. Assoc. Med. Bras. 2013 jul/ago; 59(4): 400-5.

Otero LM, Zanetti ML, Ogrizio MD. Conhecimento do paciente diabético acerca de sua doença antes e depois da implantação de um programa de educação em diabetes. Rev Lat Am Enferm. 2008;16(2): 231-37.

Gomides DS, Villas-Boas LCG, Coelho ACM, Pace, AE. Autocuidado das pessoas com diabetes mellitus que possuem complicações em membros inferiores. Acta Paul Enferm. 2013;26(3): 289-93.

Oliveira Neto M, Pereira MS, Pinto, MAH, Agostinho LMA. Avaliação do autocuidado para a prevenção do pé diabético e exame clínico dos pés em um centro de referência em diabetes mellitus. J. Health Biol Sci. 2017;5(3): 265-71.

Carvalho RP, Carvalho CP, Martins DA. Aplicação dos cuidados com os pés entre portadores de diabetes mellitus. Cogitare Enferm 2010 jan/mar; 15(1): 106-9.

Ridder D, Geenen R, Kuijer R, Van Middendorp HV. Psychological adjustment to chronic disease. Lancet. 2008;372(9634): 246-55.

Faria HT, Rodrigues FF, Zanetti ML, Araújo MF, Damasceno MM. Fatores associados à adesão ao tratamento de pacientes com diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2013; 26(3): 231-7.

Luna NSA, Baeza MR, Castell EC, Santos FC, David HL, Castillo MMA. Intervención educativa: implementación de la agencia de autocuidado y adherencia terapéutica desde la perspectiva del paciente diabético. Revista Enfermagem UERJ. 2013;21(3): 289-94.

Bertolin DC, Pace AM, Cesarino CB, Ribeiro RC, Ribeiro RM. Adaptação psicológica e aceitação do diabetes mellitus tipo 2. Acta Paul Enferm. 2015;28(5): 440-6.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2019v40n1p75

Direitos autorais 2019 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367