Resposta imune a Candida albicans

Ivete Conchon Costa, Ionice Felipe, Luis Carlos Jabur Gaziri

Resumo


Candida albicans causa infecções na pele, cavidade oral e esôfago, trato gastrointestinal, vagina e sistema vascular de humanos. As infecções ocorrem em hospedeiros imunocomprometidos ou pacientes debilitados. Acima de 90% dos pacientes HIV+ sofrem de candidíase de mucosas ao menos uma vez no decorrer da doença. A severidade e cronicidade da candidíase oral em pacientes com AIDS são atribuídas, principalmente, à imunodeficiência induzida pelo HIV nos indivíduos afetados, a saber, perda de funções de célula T auxiliar e redução do número de linfócitos T CD4. Na colonização de mucosas e infecções sistêmicas de camundongos por este fungo, células Th1 medeiam a proteção dependente de fagócitos, cujas citocinas mais importantes são IL-2, IFN-ã e IL-12, TNF-á. Ao contrario, produção de citocinas inibidoras tais como, IL-4 e IL-10 por células Th2 estão associadas à desativação de fagócitos e à progressão da doença. Possivelmente, o crescimento de formas filamentosas está melhor adaptado para evadir das células do sistema imune, enquanto a forma de levedura pode ser o modo de proliferação em tecidos infectados. Pela produção discriminativa de IL-12 em resposta a levedura e de IL-4 a hifa, as células dendríticas adquirem a capacidade para induzir a diferenciação de células TCD4 para o fenótipo Th1 ou Th2.


Palavras-chave


Candida albicans; Resposta immune.Infecçõs; sistêmicas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2008v29n1p27

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367