Adolescentes internados por tentativa de suicídio com agentes químicos: um estudo transversal

Tuanny Kitagawa, Camila Cristiane Formaggi Sales, Marcelle Paiano, Magda Lúcia Félix de Oliveira

Resumo


Este estudo objetivou descrever as internações por de tentativas de suicídio com agentes químicos em adolescentes internados em um hospital de ensino no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2015. Pesquisa transversal e descritiva, com análise retrospectiva de fichas de ocorrência toxicológica, arquivadas em um centro de assistência toxicológica do noroeste do Paraná. Foram selecionadas 27 internações de adolescentes que tentaram suicídio com agentes químicos. As idades encontradas variaram de 12 a 19 anos, sendo a maioria dos internados do sexo feminino, com idade entre 16 e 19 anos (70,4%). A residência foi o local de maior ocorrência das intoxicações, e os principais agentes utilizados foram medicamentos (51,9%) e produtos de uso veterinário (14,8%). Conflitos familiares, tentativa de suicídio anterior e transtorno mental foram fatores observados entre a população estudada e que podem ter relação com a ocorrência do evento suicida. A média de internação foi de 6,2 dias. Dez pacientes internados foram classificados como moderados, 15 como graves e dois como fatais. Foram identificados fatores que permitem dimensionar um problema social emergente: tentativas de suicídio com utilização de agentes químicos entre os adolescentes. Corroborou fatores relacionados à tentativa de suicídio: sexo feminino, espaço domiciliar como cenário, utilização de medicamentos como agente tóxico, e conflitos familiares e afetivos como causa principal, embora pouco relatados nas fichas de atendimento. Fatores como tentativa de suicídio anterior e transtorno mental também foram observados entre a população em estudo.

Palavras-chave


Tentativa de suicídio; Saúde mental; Envenenamento; Centros de controle de intoxicações.

Texto completo:

PDF

Referências


Botega NJ. Comportamento suicida: epidemiologia. Psicol. USP. 2014 set-dez;25(3):231-236.

Souza VS, Alves MS, Silva LA, Lino DCSF, Nery AA, Casotti CA. Tentativas de suicídio e mortalidade por suicídio em um município no interior da Bahia. J. Bras. Psiquiatr.2011;60(4):294-300.

Bezerra Filho JG, Werneck GL, Almeida RLF, Oliveira MIV, Magalhães FB. Estudo ecológico sobre os possíveis determinantes socioeconômicos, demográficos e fisiográficos do suicídio no Estado do Rio de Janeiro, Brasil, 1998-2002. Cad. Saúde Pública. 2012 maio;28(5):833-844.

Rosa MN, Campos APS, Guedes MRJ, Sales CCF, Mathias TAF, Oliveira MLF. Intoxicações associadas às tentativas de suicídio e suicídio em crianças e adolescentes. Rev. Enferm UFPE.2015;9(2):661-668.

Wanzinack C, Temoteo A, Oliveira AL. Mortalidade por suicídio entre adolescentes/jovens brasileiros: um estudo com dados secundários entre os anos de 2011 a 2015. Divers@.2017;10(2):106-117.

Ministério da Saúde (BR). SIM/DATASUS. 2017. [Internet]. [citado 2017 ago 4]. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/.

Fukumitsu KO, Abilio CCC, Lima CFS, Gennari DM, Pellegrino JP, Pereira TL. Postvention: a new perspective for a suicide. Rev. Brasileira Psicol. 2015;2(2):48-60.

World Health Organization. Preventing suicide: A global imperative. Geneva: WHO; 2014.

Eisenstein E. Adolescência: definições, conceitos e critérios. Adolesc. Saúde. 2005 abr.-jun;2(2):6-7.

Kuczynski E. Suicídio na infância e adolescência. Psicol USP. 2014;25(3):246-252.

Norheim AB, Grimholt TK, Ekeberg O. Attitudes towards suicidal behaviour in outpatient clinics among mental health professionals in Oslo. BMC Psychiatry. 2013;19(13):90.

Vidal CEL, Gontijo ECDM, Lima LA. Tentativas de suicídio: fatores prognósticos e estimativa do excesso de mortalidade. Cad. Saúde Pública. 2013;29(1):175-187.

Rosa NM, Oliveira RR, Arruda GO, Mathias TAF. Mortalidade por suicídio no Estado do Paraná segundo meios utilizados: uma análise epidemiológica. J. Bras. Psiquiatr. 2017;66(2):73-82.

Oga S, Camargo MMA, Batistuzzo JAO. Fundamentos de toxicologia. 4a ed. São Paulo: Atheneu; 2014.

Olson KR. Manual de Toxicologia Clínica. 6a ed. São Paulo: Artmet; 2014.

Tavares EO, Oliveira MLF. Minimum patterns of initial assistance given on the toxicological emergency to approach a poisoned child. Rev. Rene. 2012;13(1):147-157.

Cantão L, Botti NCL. Suicidal behavior among drug addicts. Rev Bras Enferm. 2016;69(2):389-96.

Brasil. Portaria no 1.876, de 14 de agosto de 2006. Estabelece Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, a ser implantadas em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. [Internet]. Diário Oficial da União, 2006 ago 15. [citado 2017 ago 14]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/ gm/2006/prt1876_14_08_2006.html.

World Health Organization. Mental health action plan 2013-2020. Geneva: WHO; 2013.

Bochner R. National Poison Information System (Sinitox, in Brazilian acronyn): thirty-five years of resistance. Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2016 jan.-mar;10(1):1-3.

Ministério da Saúde (BR). Marco legal: saúde, um direito de adolescentes. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Meneghel SN, Moura R, Hesler LZ, Gutierrez DMD. Tentativa de suicídio em mulheres idosas: uma perspectiva de gênero. Ciênc. Saúde Colet. 2015;20(6):1721-1730.

Schlösser A, Rosa GFC, More CLOO. Revisão: comportamento suicida ao longo do ciclo vital. Temas psicol. 2014 abr;22(1):133-145.

Zakharov S, Navrátil T, Pelclová D. Suicide attempts by deliberate self-poisoning in children and adolescents. Psychiatry Res. 2013;210(1):302-307.

Del Ciampo LA, Del Ciampo IR. Morbidity profile and hospitalization of adolescents at Ribeirão Preto (SP) region. Rev FMRP USP. 2011;44(2):195-201.

Instituto de Comunicação e Informação científica e Tecnológica em Saúde Dados de Intoxicações: tabela 7 -Casos Registrados de Intoxicação Humana por Agente Tóxico e Faixa Etária. Brasília (DF): SINITOX; 2016.

Monteiro RA, Bahia CA, Paiva EA, Sá NNB, Minayo MCS. Hospitalizações relacionadas a lesões autoprovocadas intencionalmente – Brasil, 2002 a 2013. Ciênc. Saúde Colet. 2015;20(3):689-699.

Piveta LN, Silva LB, Guidoni CM, Girotto E. Armazenamento e descarte de medicamentos por acadêmicos da área da saúde de uma universidade paranaense. Semin., Ciênc. Biol. Saúde. 2015;36(1):55-66.

Santos MPS, Silva TPS, Pires CMC, Ramos PGX, Sougey EB. Identificação de aspectos associados à tentativa de suicídio por envenenamento. J Bras Psiquiatr. 2017;66(4):197-202.

Devries K, Watts C, Yoshihama M, Kiss L, Schraiber LB, Devessa N., et al. Violence against women is strongly associated with suicide attempts: evidence from the WHO multi-country study on women's health and domestic violence against women. Soc Sci Med. 2011 Jul;73(1):79-86.

Prüss-Üstüns A, Vickers C, Haefliger P, Bertollini R.. Knowns and unknowns on burden of disease due to chemicals: a systematic review. Environ Health. 2011 Jan;10(9):1-15.

Vieira LP, Santana VTP, Suchara EA. Caracterização de tentativas de suicídio por substâncias exógenas. Cad Saúde Colet. 2015;23(2):118-123.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2019v40n1p5

Direitos autorais 2019 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367