Percepções de mulheres que utilizaram substâncias psicoativas durante a gestação quanto ao atendimento do profissional

Vagner Ferreira do Nascimento, Ingrid Karla Corrêa, Ana Cláudia Pereira Terças, Alisséia Guimarães Lemes, Margarita Antonia Villar Luis

Resumo


Este estudo teve como objetivo conhecer as percepções de mulheres que utilizaram substâncias psicoativas durante a gestação quanto ao atendimento do profissional. Seguiu-se o método descritivoexploratório e com abordagem qualitativa. Participaram da pesquisa onze mulheres que utilizaram álcool e/ou outras substâncias psicoativas durante a gestação. A coleta de dados foi realizada entre março e maio de 2017 através de entrevista semiestruturada gravada. Utilizou-se a análise de conteúdo, à luz da Teoria de Peplau. A partir das narrativas, emergiram duas categorias: descoberta da condição de adicta pelo profissional e pontos positivos e negativos nos atendimentos. As participantes do estudo demonstraram satisfação pelas consultas de pré-natal, mas sinalizaram como ponto negativo a demora nos atendimentos, a comunicação difícil de médicos e formas desrespeitosas no cuidado hospitalar, passando por situações de violência. Diante disso, é importante rever a assistência ofertada às gestantes, em especial na condição de usuárias de drogas, para atenuar prognósticos materno-fetais desfavoráveis e não prejudicar a construção e manutenção das relações interpessoais entre clientes e profissionais.

Palavras-chave


Assistência Integral à Saúde; Gestantes; Alcoolismo; Drogas Ilícitas; Violência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n2p193

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367