Prevalência e sensibilidade aos antimicrobianos de Streptococcus agalactiae em gestantes atendidas no Hospital Universitário de Londrina, Paraná, Brazil

Ana Elisa Belotto Morguette, Renata Perugini Biasi-Garbin, Eliane Saori Otaguiri, Marcia Regina Eches Perugini, Marsileni Pelisson, Floristher Elaine Carrara-Marroni, Eliana Carolina Vespero, Renata Aparecida Belei, Gilselena Kerbauy, Jaqueline Dario Capobiango, Lucy Megumi Yamauchi, Sueli Fumie Yamada-Ogatta

Resumo


Um estudo retrospectivo foi realizado com gestantes atendidas no Hospital Universitário de Londrina, Paraná, Brasil para determinar a prevalência de colonização vaginal-retal por Estreptococos do Grupo B (EGB) e o perfil de sensibilidade de EGB aos antimicrobianos utilizados para a antibioticoterapia profilática intraparto. Swabs vaginais-retais foram coletados de 2.901 mulheres entre a 35ª e 37ª semana de gestação. Destes, 528 (18,2%) apresentaram cultura positiva para EGB, e 0,4%, 10,2% e 10% dos isolados foram resistentes à penicilina, eritromicina e clindamicina, respectivamente. Estes resultados destacam a importância de vigilância contínua da colonização por EGB em gestantes para a prevenção de infecções em neonatos por EGB.

Palavras-chave


Streptococcus agalactiae; Colonização; Resistência antimicrobiana; Prevalência.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2018v39n1p77

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367