Avaliação da acurácia de dois glicosímetros veterinários para uso em cães

Maria Lopes Correa, Fabiola de Oliveira Paes Leme, Adriane Pimenta da Costa Val

Resumo


Os glicosímetros (GT) são estratégia importante para mensuração da glicemia. Devem estar dentro das especificações da ISO 15197:2013 e avaliados pela análise da grade de erros. Objetivou-se avaliar a acurácia de dois glicosímetros veterinários (GT1 e GT2), pela comparação dos valores de glicemia mensurados em sangue capilar, com aqueles fornecidos por métodos laboratoriais de referência em amostras plasmáticas, transformadas ou não em valores de plasma equivalente. Na avaliação de GT1 em amostras de sangue capilar e o método laboratorial hexoquinase obtiveram-se média das diferenças de 25,90 mg/dL e 26 % das amostras recaíram sobre os limites propostos pela ISO15197: 2013. A comparação de GT1 aos valores de glicemia estimados para plasma equivalente, mostrou média de diferenças de 10,89 mg/dL e 99 % das amostras atenderam aos limites pretendidos. Comparações avaliação de GT2 e o método laboratorial glicose oxidase em amostras de sangue total capilar, a média das diferenças foi 10,58 mg/dL e 22 % das amostras atenderam aos intervalos propostos pela ISO15197: 2013; quando avaliado pela glicemia estimada para plasma equivalente, a média das diferenças foi de 9,7029 mg/dL e 99% das amostras atenderam aos limites. Quando avaliados pela grade de erros de erros, 87% das amostras avaliadas por GT1 recaíram sobre as zonas de erros A e B e aquelas avaliadas por GT2 apresentaram 86% das amostras sobre tais zonas. Os glicosímetros avaliados não apresentaram a acurácia para mensuração da glicemia capilar conforme os padrões expostos pela normativa ISO 15197:2013.

Palavras-chave


Glicemia; Monitoramento, Ensaios clínicos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2018v39n1p19

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367