Análise do padrão de distribuição da heterocromatina e da região organizadora do nucléolo em Pimelodus microstoma (Pimelodidae)

Débora Berbel Lirio Rondina, Matheus Pires Rincão, Ana Lúcia Dias

Resumo


Pimelodus microstoma é uma espécie de peixe que pertence à família Pimelodidae, da ordem Siluriformes. Estudos citogenéticos na família Pimelodidae mostraram que 2n=56 é o mais comum neste grupo, sendo encontradas algumas espécies com 2n=50, 54 e 58. As regiões organizadoras de nucléolos são localizadas em região terminal de um par de cromossomos subtelo-acrocêntrico em todas as espécies da família Pimelodidae analisadas até o momento, indicando um caráter basal para o grupo. Nos pimelodídeos, é característica a pouca quantidade de heterocromatina, geralmente distribuída em regiões pericentroméricas e/ou terminais dos cromossomos. Tanto as RONs como o padrão de distribuição da heterocromatina são importantes marcadores citogenéticos, que permitem diferenciar espécies e populações. O objetivo do presente estudo foi caracterizar citogeneticamente Pimelodus microstoma do rio Laranjinha/PR, bacia do rio Paranapanema e, para isso, foram analisados 12 espécimes. Utilizou-se técnicas convencionais de coloração com Giemsa e de bandamento cromossômico: impregnação pelo nitrato de prata para observar as regiões organizadoras de nucléolo, bandamento C para evidenciar o padrão de distribuição da heterocromatina e coloração com fluorocromos base específicos cromomicina A3 (CMA3)e DAPI para observar regiões ricas em CG e AT, respectivamente. As análises mostraram 2n=56 com fórmula cariotípica de 24 cromossomos metacêntricos, 18 submetacêntricos, 8 subtelocêntricos e 6 acrocêntricos e o número fundamental igual 106. As regiões organizadores de nucléolo foram localizadas na região terminal do braço longo de um par de cromossomos subtelocêntricos. Na análise com fluorocromos observou-se que a RON é CMA3 positiva e DAPI negativa, sendo rica em pares de bases GC. A heterocromatina mostrou-se distribuída em regiões terminais, na maioria dos cromossomos, sendo observadas algumas marcações biteloméricas, com alguns cromossomos apresentando blocos terminais. Foram observadas poucas regiões heterocromáticas pericentroméricas. Após a coloração da Banda C com fluorocromos, algumas regiões heterocromáticas mostraram-se CMA3 positivas, portanto ricas em pares de bases GC e marcações com DAPI não puderam ser observadas. Os dados relatados para P. microstoma do rio Laranjinha seguem o mesmo padrão observada as demais espécies do gênero e da família. Um estudo mais amplo com fluorocromos deverá ser realizado para melhor analisar a composição da heterocromatina neste grupo de peixes.

Palavras-chave


Banda C; Fluorocromos; Siluriformes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp85

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367