Dados citogenéticos preliminares de quatro espécies de Siluriformes da bacia Amazônica

Mariana Costa Terra, Fabio Hiroshi Takagui, Ana Lúcia Dias

Resumo


Dentre as famílias pertencentes à ordem Siluriformes, Heptapteridae e Pimelodidae estão entre as mais diversificadas apresentando, respectivamente, 210 e 109 espécies válidas. Entretanto, considerando o número de espécies existentes, são escassos os trabalhos citogenéticos nestes grupos de peixes: Heptapteridae possui dados cariotípicos para apenas 41 espécies e Pimelodidae para 45. O objetivo do presente estudo foi caracterizar citogeneticamente quatro espécies de peixes da ordem Siluriformes, coletadas no rio Solimões, bacia Amazônica, por meio de técnicas convencionais de coloração e bandamento cromossômico. Foram analisadas uma espécie de Heptapteridae, Pimelodella cristata, e três espécies de Pimelodidae, Callophysus macropterus, Propimelodus sp. e Exallodontus aguanae. Os resultados mostram que P. cristata apresentou 2n=46, com número fundamental (NF) igual a 86, sendo 24m+16sm+6st-a. Callophysus macropterus apresentou 2n=50 e NF igual a 90, com 22m+18sm+10st-a. As espécies Propimelodus sp e Exallodontus aguanae apresentaram 2n=56, mas diferiram quanto à fórmula cariotípica, sendo que Propimelodus apresentou 24m+22sm+10st-a e NF=102 e E. aguanae mostrou 32m+16sm+8st-a e NF=104. As regiões organizadoras de nucléolos (Ag-RONs) se mostraram simples para todas as espécies analisadas e, com exceção de Callophysus macropterus, todas apresentaram uma constrição secundária, coincidente com as RONs, sendo terminal em Propimelodus sp. e Pimelodella cristata, e intersticial em Exallodontus aguanae, sendo este o primeiro relato em Pimelodidae. As AgRONs foram localizadas em um par acrocêntrico exceto em E. aguanae, evidenciadas no primeiro par metacêntrico. Em P. cristata e E. aguanae foi evidenciado um heteromorfismo de tamanho da constrição secundária entre os cromossomos homólogos. Na coloração com fluorocromos, todas as constrições secundárias apresentaram sinal positivo para cromomicina A3 sendo, portanto, regiões ricas em bases GC. Callophysus macropterus foi a única espécie que mostrou sinais positivos para o fluorocromo DAPI, além do par cromossômico positivo para CMA3, provavelmente correspondente à RON. Os dados aqui apresentados são os primeiros para este grupo de peixes da bacia Amazônica, exceto para C. macropterus e, apesar de preliminares, já fornecem interessantes informações citogenéticas sobre estas espécies, que poderão contribuir para um melhor entendimento da evolução e estrutura cariotípica das famílias Heptapteridae e Pimelodidae.

Palavras-chave


Ag-RONs; Cromomicina A3; DAPI; Heptapteridae; Pimelodidae; Pisces

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp143

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367