Caracterização citogenética do Boto da Bolívia (Inia boliviensis): mais uma ferramenta de diferenciação entre as espécies

Waleska Gravena, Natsumi Hamada Fearnside, Édika Sabrina Girão Mitozo Tavares, Natália Dayane Moura Carvalho, Maria Claudia Gross, Carlos Henrique Schneider, Vera Maria Ferreira da Silva

Resumo


Dados citogenéticos de cetáceos são particularmente raros por conta da dificuldade em conseguir amostras de animais vivos. Apesar disso, este estudo caracteriza mais uma espécie de golfinho dos rios amazônicos, o boto da Bolívia, Inia boliviensis. Esta espécie, com distribuição restrita aos rios da Bolívia e à bacia do Rio Madeira, por muito tempo foi considerada uma subespécie de Inia geoffrensis, que possui ampla distribuição pela bacia amazônica. Por vezes a classificação taxonômica desses animais ainda é contestada, apesar de evidencias tanto morfológicas quanto moleculares de sua distinção. A fim de utilizar as técnicas de citogenética como mais uma ferramenta na classificação das espécies, foram utilizadas amostras de sangue de 3 machos e 3 fêmeas de I. boliviensis coletados no Rio Guaporé, divisa do Brasil com a Bolívia, para determinar a fórmula cariotípica e os padrões de heterocromática constitutiva da espécie. Em um trabalho anterior, a fórmula cariotípica de I. geoffrensis foi descrita possuindo 2n = 44, assim como a maioria dos cetáceos, e com 12m + 14sm + 6st + 10t + XX/XY. Já nas amostras de I. boliviensis, foi determinada fórmula cariotípica de 14m + 12sm + 6st + 10t + XX/XY, sendo diferenciado da espécie relacionada por um par a mais de cromossomos metacêntricos e um a menos de submetacêntricos. Utilizando a técnica de banda C, foram observados blocos de heterocromatina constitutiva nas posições terminais, intersticiais e pericentroméricas. Baseados nesses resultados as espécies mostram diferenciação na fórmula cariotípica e na quantidade de heterocromatina constitutiva, já que I. boliviensis apresentou blocos maiores de heterocromatina do que já foram descritos para I. geoffrensis. Esses dados podem contribuir para o estabelecimento da espécie de boto da Bolívia, além de contribuir para o entendimento da carioevolução do grupo e por isso se faz necessário a utilização de mais marcadores, incluindo marcadores citogenéticos moleculares.


Palavras-chave


Banda C; Giemsa; Cariótipo; Golfinho de rio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp115

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367