Como os dados citogenéticos podem ajudar no entendimento da diversidade críptica em Hypsiboas crepitans (Anura, Hylidae)

Marcelle Amorim Carvalho, Millena Santos Figueredo, Miguel Trefaut Rodrigues, Patrik Ferreira Viana, Caroline Garcia, Eliana Feldberg

Resumo


Pertencente à família Hylidae e subfamília Cophomantinae, Hypsiboas crepitans é uma espécie de anuro considerada de ampla distribuição, embora esta seja restrita a duas grandes áreas desconectas localizadas no norte da América do Sul e na parte nordeste e sudeste do Brasil, ocupando áreas de Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Caatinga e formações de Cerrado. Dados biológicos de diferentes naturezas indicam a presença de diversidade críptica para o grupo e afim de acessar esta diversidade utilizamos marcadores citogenéticos clássicos na caracterização de populações de H. crepitans provenientes dos municípios de Jequié-BA, Maracás-BA, Itapetinga-BA, distrito de Florestal-BA, São Roque do Canaã-ES e Caracaraí-RR. Todos os indivíduos analisados apresentaram 2n=24 e NF=48, que são números característicos tanto para o gênero Hypsiboas quanto para família Hylidae, sem diferenças entre os sexos. Foram observadas diferenças na composição cariotípica de cada população, embora os pares cromossômicos 1, 2, 9, 11 e 12 apresentem morfologia conservada. As RONS mostraram-se simples e localizadas intersticialmente nos braços longos dos pares 7 (Jequié), 8 (Caracaraí), 10 (São Roque do Canaã), e 11 (Florestal, Maracás e Itapetinga). A localização e número de blocos de heterocromatina permitiram identificar marcadores cromossômicos que separam as populações da Bahia e Espírito Santo da população amazônica, sugerindo maior proximidade evolutiva entre as populações do nordeste e sudeste brasileiro. Tais diferenças na macro e microesturura cromossômica são possivelmente frutos de rearranjos, principalmente inversões pericêntricas, e indicam a presença de formas genéticas distintas dentro do que se considera uma unidade evolutiva, reforçando a proposta da existência de um complexo de espécies para o grupo.

Apoio: Estudos citogenéticos e citogenômicos da biodiversidade da Amazônia, com implementação de avanços técnicos. (AUXPE – Pró Amazônia, CAPES 3297/2013/Processo nº 23038.009446/2013-09)

Palavras-chave


Complexo de espécies; Evolução cariotípica; Rearranjos cromossômicos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp134

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367