Comparação da ação mutagênica entre Arsênio, Mercúrio e Chumbo em linhagem de fibroblastos humanos por meio do ensaio do Cometa e teste do Micronúcleo

Ludmilla Souza Campos da Silva, Fernanda do Espirito Santo Sagica, Edivaldo Herculano Correa de Oliveira

Resumo


Mutágenos são agentes que causam alterações no material genético. Muitas substâncias são sabidamente mutagênicas, destacando-se entre elas os metais pesados, que são prejudiciais por não serem biodegradáveis, acumulando-se em diversos tecidos. Constantemente, esses metais são despejados no meio ambiente sem tratamento prévio, sendo atualmente os poluentes ambientais mais comuns pela excessiva utilização industrial e agrícola, acumulando-se no solo e corpos aquáticos, afetando assim a qualidade e a segurança alimentar. A realização de bioensaios, como o ensaio cometa e o teste do micronúcleo, torna-se fundamental para avaliação e melhor entendimento de seu potencial mutagênico. O arsênio (As) é um dos metais mais nocivos à saúde humana, sendo amplamente distribuído no ambiente devido à ação antropogênica, assim como o mercúrio (Hg), e o chumbo (Pb). Avaliar comparativamente as propriedades mutagênicas do As, do Hg e do Pb, por meio do teste do micronúcleo e ensaio cometa, em linhagem de fibroblastos humanos. Exposição das culturas a quatro tratamentos diferentes: MeHg (5mM), Pb (0,05?g), As (0,001?g) e meio sem metais. Foram encontradas diversas alterações relacionadas com anomalias celulares e quebras no DNA, com frequências diferentes para cada tratamento. A frequência de apoptose foi estatisticamente maior no tratamento com Pb (p<0,05), e a frequência de micronúcleos, maior no tratamento com MeHg (p<0,05). A frequência de brotos e pontes foi estatisticamente maior nas células tratadas com MeHg e As (p<0,05), e as células necróticas foram mais frequentes nas células tratadas com Pb e As (p<0,05). O ensaio cometa demonstrou que a média de DNA fragmentado pela exposição ao MeHg (46,70%) foi maior, seguido pelo As (14,15%), Pb (7,63%) e C- (3,56%). Os três metais induzem quebras no DNA, porém em intensidades diferentes: a maior foi observada após a exposição ao MeHg, seguida pelo As e Pb. Conclui-se que as células in vitro respondem de maneiras distintas aos metais a que foram expostas. Esses aparentes mecanismos diferentes de citotoxicidade estão servindo de base para novos experimentos empregando metodologias que avaliam aspectos do metabolismo celular.

Palavras-chave


Arsênio; Mercúrio; Chumbo; Micronúcleo; Ensaio Cometa

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp135

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367