Caracterização citogenética de Andorinhas sugere um cromossomo W incomum para a classe aves

Suziane Alves Barcellos, Marcelo Santos de Souza, Alice Lemos Costa, Rafael Kretschmer, Ricardo Gunski, Analia del Vale Garnero

Resumo


A classe Aves possui distribuição cosmopolita e sua diversidade é de aproximadamente dez mil espécies. As espécies da família Hirundinidae (Passeriformes), são aves Neognatas de hábitos diurnos. Este trabalho objetivou contribuir para o conhecimento citogenético das espécies Pygochelidon cyanoleuca (PCY), Progne chalybea (PCH) e Progne tapera (PTA), fornecendo a descrição cariotípica e o padrão de bandeamento C das mesmas. As metáfases foram obtidas a partir da cultura de fibroblastos. Para determinação do número diploide, analisou-se cerca de 20 metáfases de cada indivíduo, que foram pigmentadas utilizando a coloração de Giemsa. A determinação sexual e identificação das áreas heterocromáticas realizou-se a partir da técnica de bandeamento C. Encontrou-se nas três espécies o número diplóide de 76 cromossomos. Todas as espécies possuem o 1º par de cromossomos submetacêntricos e os dois seguintes pares (2º e 3º) acrocêntricos. Em PCH e PTA o 5º par é submetacêntrico. O 5º par de PCY é acrocêntrico. O 6º par nas espécies PCY, PCH e PTA possuem morfologia submetacêntrica, acrocêntrica e telocêntrica respectivamente. Os 4º e 10º pares apresentam-se metacêntricos em todas as espécies. Em PCY e PTA, o 7º e 8º pares possuem morfologia telocêntrica com constrição secundária. No entanto, o 7º par em PCH também apresenta uma constrição secundária. O 9º par apresenta-se telocêntrico nas três espécies. Todas as espécies possuem o cromossomo Z com morfologia metacêntrica e cromossomo W submetacêntrica. Nas espécies PCY e PCH o cromossomo Z encontra-se entre o 3° e o 4º par, enquanto que em PTA este cromossomo encontra-se entre o 4° e o 5º par. O cromossomo W localiza-se entre 6° e 7° par de cromossomos nas espécies PCH e PTA, enquanto que em PCY este cromossomo localiza-se entre o 3° e o 4º par. Observou-se, além do tamanho elevado do W, um pequeno dimorfismo sexual cromossômico nas três espécies, demonstrando que esta característica representa um traço evolutivo derivado de diferenciação morfológica dos cromossomos sexuais da família.

Palavras-chave


Hirundinidae; Cariótipo; Cromossomos sexuais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp112

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367