Obtenção de cromossomos mitóticos em peixes: Um método alternativo para evitar a eutanásia de animais

Pablo Américo Barbieri, Ana Camila Prizon, Adréa Cius, Leandro Ranucci, Camila Borges Gazolla, Layon Zafra Lemos, Luara Lupepsa, Rafael Fernando de Melo, Júlio Henrique Oliva, Luciana Andréia Borin Carvalho, Ana Luiza de Brito Portela Castro

Resumo


A utilização de animais em pesquisas sempre foi controverso sendo a razão de diversas discussões em função do grande número necessário de espécimes e do sofrimento causado aos mesmo. Com os recentes avanços da citogenética de peixes reforça-se o interesse na análise cromossômica na área básica e aplicada da pesquisa. O protocolo mais empregado para obtenção de preparações cromossômicas em peixes neotropicais tem sido a técnica "air drying", que tem por base a injeção prévia de solução de colchicina nos exemplares vivos e a retirada da porção anterior do rim para a obtenção de uma suspensão celular. Embora esta técnica comumente empregada resulte em preparações cromossômicas de qualidade, tem a desvantagem da eutanásia dos animais. As questões éticas e morais que permeiam nossa sociedade contemporânea estabelecem alguns princípios orientadores na utilização de animais em pesquisas científicas. Entre estes princípios estão a substituição dos animais (replace) por outros métodos alternativos, tais como: testes in vitro, e a redução (reduce), que determina que os pesquisadores devem utilizar o mínimo de animais em um experimento. Deste modo, nosso estudo teve como objetivo experimentar e adequar uma metodologia alternativa (protocolo estabelecido por Völker e. Ráb, 2015) que utiliza nadadeiras regeneradas de peixes para a obtenção de metáfases mitóticas, com a vantagem de não provocar a morte dos espécimes. Foram testados um totade 24 de animais pertencentes a quatro espécies diferentes: Danio rerio, Astyanax altiparanae, Oreochromis niloticus e Otothyropsis biamnicus. Os resultados obtidos demonstraram que houve variação no tempo de regeneração das nadadeiras entre as espécies analisadas e, que o número médio de metáfases por lâmina foi igual a 4. Embora essa quantidade possa parecer pequena, o tempo para percorrer a lâmina à procura de metáfases é bem menor, uma vez que as células ficam concentradas em uma região especifica da lâmina. A qualidade das metáfases obtidas também foi satisfatória. Desta forma, a preparação cromossômica direta de nadadeiras regeneradas de peixes parece ser promissora na obtenção metáfases em quantidade e qualidade. Este fato é de extrema importância para as análises citogenéticas, pois a melhoria nas preparações cromossômicas obtidas diminui a necessidade de coletas subsequentes e o uso excessivo de exemplares.

Palavras-chave


Citogenética; Metáfases; Protocolo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp215

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367