Análises citogenéticas em espécies, cultivares e híbridos do gênero Citrus

Rita de Cássia Teixeira Moreira, Margarete Magalhães Souza, Cláusio Antonio Ferreira de Melo, Abelmon Silva Gesteira, Gonçalo Santos Silva

Resumo


O gênero Citrus L. é composto de grande variedade de cultivares e híbridos que em campo podem apresentar características fenotípicas semelhantes, inclusive, entre cultivares poliploides e diploides. O objetivo deste trabalho foi caracterizar cariotípicamente cultivares e híbridos do gênero Citrus através do bandamento CMA3/DAPI, da localização in situ de sequências repetitivas Foram analisadas as espécies C. limon (L.) Burm. F., C. sunki Hort. ex Tanaka, C. volkameriana V. Tem & Pasq., C. latifólia Yu. Tanaka (IAC-05), assim como os híbridos Thaiti-03 e Thaiti-08. O número cromossômico diplóide 2n = 18 foi observado nas espécies C. limon, C. sunki, C. volkameriana e também no híbrido Thaiti-08. No híbrido Thaiti-03, foi identificado 2n = 3x = 27, como também a espécie C. latifólia (IAC-5), triploide (2n=3x= 27), corroborando com análises divulgadas da cultivar. O bandamento CMA3+/DAPI- realizado em C. volkameriana revelou nove cromossomos com um bloco terminal e um cromossomo com dois blocos, bem como um terminal e um pericentromérico. As espécies C. limon e C. sunki, apresentaram nove cromossomos com um bloco terminal e um cromossomo com dois blocos CMA3+/DAPI- terminais. Em C. latifólia foram observados treze cromossomos com blocos terminais e um cromossomo com dois blocos terminais. A análise molecular de alguns dos genótipos por Hibridação in situ Fluorescente (FISH), demonstrou em C. sunki, duas marcas dos sítios 45S e 5S localizadas próximas no mesmo par cromossômico. A espécie C. limon apresentou duas marcas dos sítios 45S e 5S, em que um dos cromossomos apresenta os dois sítios. Na cultivar, triploide, C. latifólia (IAC-05), foram identificados seis sítios 45S e dois sítios 5S. Foram utilizadas sequência para DNA repetitivo de Citrus obtidas do NCBI (National Center for Biotechnology Information) para o desenho de primers no Primer 3 Plus e posterior localização in situ. A hibridação das sequências repetidas não expressas revelou que os as duas sequências investigadas estão co-localizadas no genoma das espécies e híbridos analisados com ao menos quinze sítios para as sondas satélites em C. latifólia e oito sítios em C. limon. O DNA repetitivo não expresso pode ser utilizado como excelente marcador citológico para ploidia e compatibilização cromossômica no melhoramento de Citrus.

Agradecimentos: UESC, EMBRAPA e CAPES.

Palavras-chave


Citogenética; Bandamento; FISH

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp92

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367