A utilização do CMA na análise da Deficiência intelectual

Aldaires Vieira de Melo, Irene Plaza Pinto, Lysa Bernandes Minasi, Damiana Mirian da Cruz e Cunha, Cristiano Luiz Ribeiro, Aparecido Divino da Cruz

Resumo


A heterogeneidade de fatores causais associados a deficiência intelectual (DI) torna difícil o diagnóstico dessa condição e, em alguns casos, tendo origem indeterminada. Distúrbios neuropsiquiátricos, como DI, já foram relacionados com a presença de CNV. Contudo a presença da mesma CNV patogênica pode apresentar uma clínica variada entre indivíduos. Avanços tecnológicos possibilitaram a superação dos limites de diagnóstico do cariótipo convencional impostas pela microscopia comum. O uso de microarranjos vem aumentando a frequência de achados relevantes. O estudo objetivou a análise genômica estrutural de alterações gênicas relacionada deficiência intelectual em pacientes com citogenética clássica. A avaliação foi realizada em indivíduos com indicação clínica de DI, sindrômica ou não sindrômica, com citogenética clássica sem diagnóstico relacionado a deficiência intelectual, encaminhados ao Núcleo de Pesquisas Replicon/PUC Goiás e LaGene-SES/GO por médicos das redes de saúde pública do estado de Goiás. Ao concordarem e assinarem o TCLE, foi coletado 5 mL de sangue periférico. As amostras foram extraídas, isoladas, purificadas e quantificadas, para serem encaminhadas a técnica de Chromosomal Microarray (CMA). A identificação dos ganhos e perdas foi realizada através do software CytoScan® HD Array. Os filtros utilizados tiveram seus parâmetros de: tamanho (0), ganho (50) e perda (25). O filtro foi alterado em consultoria com o fabricante. Foi identificada uma CNV de perda em Xq22.3 com 34 marcadores em 2 Kb, onde está localizado o gene MID2. O gene MID2 já foi associado a DI, sendo conhecida como a síndrome do Retardo Mental ligada o X (MIM300928). Nenhuma outra alteração relacionada a DI foi identificada, podendo inferir uma associação entre a perda encontrada e a DI. Pode-se concluir a necessidade de uma maior flexibilidade dos parâmetros de análise, ao menos nos casos em que não se obtém uma conclusão, devido à variedade de causas relacionadas a DI, na busca de novos achados que futuramente se revelem importantes e sejam inclusos como padrão na análise de diagnóstico.

Palavras-chave


CMA; CNV; DI

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp67

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367