Translocação balanceada herdada t(8;19)(q12;q13)mat concomitante à deleção de 15q11.2 em um paciente com Síndrome de Angelman (SA) - A citogenética clássica não evanesce

Carlos Roberto Fonseca, Letícia Lopes Cabral Guimarães da Fonseca, Kleber Figueiredo, Cristiane Queila Ebraim Santos, Luana Luana Silva, Vera Lúcia da Silva Moura, Anna Luiza Vaz Serrão, Lúcia de Fátima Marques de Moraes, Patrícia Santana Correia, Elenice Ferreira Bastos, Juan Clinton Llerena JR

Resumo


Síndrome de Angelman (SA) é um transtorno neurocognitivo caracterizado por retardo motor e intelectual grave, distúrbio de movimento ou equilíbrio, comportamentos anormais típicos e limitações graves na fala e na linguagem, hipotonia e epilepsia. A maioria é causada pela ausência da contribuição materna ou erros de impressão genômica em 15q11-q13. Translocações recíprocas são anormalidades cromossômicas comuns, com incidência de 1/500 a 1/625 nativivos. Cerca de 6% estão relacionadas ao fenótipo anormal, porém, devem ser sempre consideradas em termos de aconselhamento genético. Com o desenvolvimento de diversas metodologias moleculares, a citogenética clássica vem sendo cada vez menos utilizada no diagnóstico, direcionando a busca especificamente para a síndrome investigada. Aqui, apresentamos um caso de SA concomitante a uma translocação balanceada entre os cromossomos 8 e 19. Paciente, nascido a termo, mãe 37 anos e pai 36 anos, não consanguíneos. Relato de aborto de primeiro trimestre. Ao exame clínico: Pele e cabelos claros, dentes espaçados, agito de mãos, sorridente, inquieto, espasticidade nos membros inferiores. Citogenética a partir de sangue periférico estimulado por fito-hemaglutinina, bandeamento GTG e classificação segundo ISCN, 2016. Técnica FISH: Segundo protocolo padrão com sonda LPU05 (SNRPN/GABRB3). O bandeamento GTG revelou translocação equilibrada entre os cromossomas 8 e 19 (8q12 e 19q13). Cariótipo paterno normal e materno mostrou a mesma translocação do paciente. A técnica FISH identificou deleção em 15q11.2, confirmando o diagnóstico. Cariótipo: 46,XY,t(8; 19)(q12;q13)mat. ish del (15)(q11.2q11.2) (SNRPN/GABRB3x1). A técnica FISH foi fundamental para a confirmação diagnóstica. Entretanto, este caso, onde há alteração cromossômica familiar balanceada, não relacionada ao diagnóstico, fortalece a ideia de que a citogenética clássica (bandeamento GTG) deve ser ainda aplicada para todos os casos de malformações congênitas e/ou retardo mental, mesmo naqueles suspeitos de síndromes bem caracterizadas, acrescida pelo fato que as metodologias utilizando CGH-array não detectam anomalias estruturais balanceadas. Devemos considerar que, mesmo raros, a ocorrência de alteração balanceada familiar modifica os critérios de aconselhamento genético, tanto para a doença em questão, cujo o risco é desprezível, quanto para outras malformações ou abortos espontâneos, cujo risco é elevado associado a rearranjos balanceados familiares.

Palavras-chave


Síndrome de Angelman; Translocação balanceada; Aconselhamento genético; FISH aconselhamento genético, FISH

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp248

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367