Mapeamento cromossômico das histonas H1 e H4 em espécies de Parodontidae (Characiformes)

Josiane Baccarin Traldi, Marcelo Ricardo Vicari, Juliana de Fátima Martinez, Daniel Rodrigues Blanco, Roberto Laridondo Lui, Orlando Moreira Filho

Resumo


Parodontidae é composta por três gêneros: Parodon, Saccodon e Apareiodon, os quais abrangem 31 espécies consideradas válidas. Do ponto de vista cromossômico, apresentam 2n=54 cromossomos conservado, com variações nas fórmulas cariotípicas, número e localização dos DNAs ribossomais 45S e 5S e presença/ausência de cromossomos sexuais. O presente trabalho teve como objetivo contribuir para o conhecimento da diversidade cromossômica de Parodontidae, analisando, através de hibridizações in situ fluorescentes, a localização cromossômica dos genes das histonas H1 e H4 em sete espécies da família: Apareiodon cavalcante, Apareiodon machrisi, Apareiodon sp. 1, Apareiodon sp. 2, Apareiodon argenteus, Apareiodon davisi e Parodon cf. pongoensis. As sondas utilizadas foram amplificadas a partir do genoma de A. cavalcante. As sequências obtidas na amplificação das histonas H1 e H4 apresentaram 626 e 213 pares de bases, respectivamente, exibindo similaridade com sequências parciais destes genes de outras espécies de peixes. Além disso, a sequência de H1 amplificada apresentou similaridade com um fragmento interno do elemento transponível ERV1-2 FCa-I. As hibridizações revelaram a ocorrência de co-localização destes genes em porção intersticial de um único par cromossômico (par 20 em P. cf. pongoensis e par 13 nas demais espécies), ocorrendo também um sítio adicional de H1 em A. davisi e pequenos sítios dessa sequência dispersos pelos cariótipos de todas as espécies. Os resultados sugerem que o cluster H1-H4 alocado em apenas um par cromossômico seja a tendência para Parodontidae, indicando assim uma possível conservação desta clusterização em todas as espécies do grupo. Os pequenos sítios de H1 dispersos pelos cariótipos e o sítio adicional de A. davisi provavelmente estão associados ao retroelemento inserido nesta sequência. Além disso, o sítio adicional de A. davisi também pode ser resultado de rearranjos cromossômicos, bem como o par portador do cluster H1-H4 em P. cf. pongoensis. Apesar de ser sugerida a conservação da localização dos genes das histonas H1 e H4 em Parodontidae, as particularidades apresentadas por algumas espécies indicam que, em alguns casos, estes genes estão envolvidos em processos evolutivos que resultam em maior nível de diferenciação.

Órgãos financiadores: FAPESP, CAPES e CNPq

Apoio de coleta: ICM-Bio (licença Nº 10538-1)

Palavras-chave


Famílias multigênicas; Marcadores cromossômicos; Hibridização in situ fluorescente; Peixes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp201

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367