Isolamento, caracterização e mapeamento físico do elemento retrotransponível non-LTR REX3 no cariótipo de populações de Ancistrus da bacia do Rio Paraná

Ana Camila Prizon, Daniel Pacheco Bruschi, Camilla Borges Gazolla, Luciana Andreia Borin, Andrea Cius, Layon Zafra Lemos, Leandro Ranucci, Luara Lupepsa, Pablo Americo Barbieri, Stéphanie Getsaian Nascimento, Julio Henrique Oliva, Ana Luiza de Brito Portela Castro

Resumo


Transposons e retrotransposons (ETs) representam uma grande porção do genoma eucariótico e diferentes linhas de evidência reportam uma massiva presença dessas sequencias no genoma de peixes. Atribui-se a esses elementos um significativo papel para a evolução dos genomas e na diversificação cariotípica em eucariotos. O gênero Ancistrus é um interessante candidato às investigações dessa natureza, visto que extensa variação cromossômica tem sido reportada. Visando a compreensão da distribuição e comportamento do elemento retrotransponível Rex 3 no gênero Ancistrus e melhor entendimento da organização genômica nesses representantes, o presente estudo objetivou isolar, caracterizar e mapear cromossômicamente o ET Rex 3 no genoma de diferentes populações de Ancistrus sp. coletados em diversos rios da bacia do rio Paraná, no estado do Paraná. O ET foi isolado através da amplificação com os primers para Rex 3 e revelou resultado positivo gerando fragmentos de aproximadamente 500 pb para as dez populações analisadas. Experimentos de hibridação in situ fluorescente foram realizados em 6 populações utilizando como sonda o ET Rex 3 isolado de uma espécime de Ancistrus sp. do rio Keller. O mapeamento físico revelou sinais fluorescentes dispersos pelos cromossomos de todas as populações de Ancistrus analisadas, sendo observados clusters desse elemento em alguns pares cromossômicos associados com blocos de heterocromatina previamente detectados. Não foram observados sinais de hibridação acumulados nos cromossomos sexuais heteromórficos (XX/XY) das populações de Ancistrus sp. rio Keller e Córrego 19. A análise das sequências nucleotídicas das cópias isoladas do genoma das populações de Ancistrus revelaram alta similaridade com sequências desse mesmo elemento depositadas no banco de dados online CENSOR. O alinhamento da sequência de aminoácidos presumida com Xiphophorus maculatus revelaram domínios da transcriptase reversa altamente conservados e íntegros, o que sugere que esse elemento é potencialmente ativo nesse genoma e pode ter contribuído no espalhamento das cópias detectadas por FISH. As populações de Ancistrus apresentam grande variação quanto ao padrão de heterocromatina e a presença de ETs Rex 3 em alguns dos blocos sugerem sua participação na dispersão dos mesmos. Nossos dados permitem a formulação de hipóteses sobre os mecanismos de diversificação cariotípica no gênero Ancistrus, envolvendo efetivamente esses elementos.

Palavras-chave


Ancistrus; Elemento transponível; Hibridação in situ



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp194

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367