Citogenética comparativa em Neoplecostomus (Hypoptopomatinae: Neoplecostomini) em afluentes do rio Paraná

Geize Aparecida Deon, Carla Andréia Lorscheider, Rafael Bonfim Almeida, Thais Aparecida Duiz, Cláudio Henrique Zawadzki, Viviane Nogaroto, Orlando Moreira Filho, Marcelo Ricardo Vicari

Resumo


O gênero Neoplecostomus compreende espécies de tamanho pequeno que habitam riachos da região sul e sudeste do Brasil. O gênero apresenta interesse em estudos citogenéticos e genéticos por apresentar cariótipos conservados e indícios de ausência de fluxo gênico entre populações de subafluentes do rio Paraná. Das dezesseis espécies válidas descritas até o momento para este gênero, oito foram descritas para a bacia do rio Paraná e há evidências da ocorrência de novas espécies para esta bacia. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo estudar a diferenciação cariotípica no gênero Neoplecostomus nas bacias hidrográficas dos rios Iguaçu, Itararé, Cinzas e Tibagi com vistas ao entendimento da evolução cariotípica e descrição da biodiversidade. Para isso, foram realizas coletas em quatro localidades: rio Pinhão – bacia do rio Iguaçu (Neoplecostomus sp. 1), rio Samambaias – bacia do rio Itararé (Neoplecostomus cf. botucatu), rio das Pedras – bacia do rio das Cinzas (Neoplecostomus sp. 2) e no rio São João – bacia do rio Tibagi (Neoplecostomus yapo). Os dados citogenéticos revelaram um número diploide de 54 cromossomos, fórmula cariotípica 18m+20sm+16st e número fundamental 108 para as quatro espécies analisadas. O bandamento C detectou poucas regiões heterocromáticas. A hibridização in situ do gene ribossomal 18S demonstrou a localização do sítio ribossomal 45S em um único par cromossômico e, em dois sítios cromossômicos para o gene ribossomal 5S. Os estudos citogenéticos realizados demonstram que as espécies pertencentes ao gênero Neoplecostomus apresentam estruturas cariotípicas similares, com cariótipo constituído basicamente de regiões eucromáticas sugerindo uma aparente conservação cariotípica a qual também já foi observada em outras espécies deste gênero e em outras espécies de Neoplecostomini.

Apoio: CNPq, CAPES, Fundação Araucária, SETI, FAPESP


Palavras-chave


Neoplecostomus; Genes ribossomais; Hibridização in situ

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp129

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367