Caracterização de polimorfismo cromossômico em Rineloricaria zaina Ghazzi, 2008 (Siluriformes, Loricariidae, Loricariinae) do rio Ijuí, bacia do rio Uruguai:

Aline Nardelli, Anahiê Bortoncello Prestes, Simone Cristina Girardi, Lucas Baumgartner, Leonardo Marcel Paiz, Rafaela Maria Moresco, Jocicléia Thums Konerat, Vladimir Pavan Margarido

Resumo


Dentre os loricarídeos, Rineloricaria tem destaque devido a elevada quantidade de espécies. Com ampla distribuição geográfica e grande diversidade de habitats, possuem alta complexidade taxonômica e citogenética, o que dificulta a compreensão da evolução do grupo. Este estudo buscou caracterizar citogeneticamente uma população de Rineloricaria zaina do rio Ijuí, bacia do rio Uruguai, através das técnicas citogenéticas básicas (Giemsa, AgRONs e bandamento C) e moleculares (FISH com sondas de 5S e 18S rDNA, sequências [TTAGGG]n). Foi observado polimorfismo cromossômico numérico e estrutural, com número diplóide variando de 55 a 58 cromossomos, e presença de quatro citótipos distintos: A, 2n=55 cromossomos (12m+1sm+42a, NF=68); B, 2n=55 cromossomos (13m+1sm+41a, NF=69); C, 2n=57 cromossomos (10m+1sm+46a, NF=68) e D, 2n=58 cromossomos (9m+2sm+47a, NF=69). A técnica de bandamento C demonstrou heterocromatina na região centromérica na maioria dos cromossomos, coincidente as RONs, e nos citótipos B e D presente também no braço curto de um cromossomo submetacêntrico. As RONs (Ag- e 18S rDNA-FISH) se mostraram em posição terminal do braço curto do par de cromossomos acrocêntricos 15. Cístrons de 5S rDNA foram encontrados na região centromérica de um par de cromossomos metacêntricos e de um par de cromossomos acrocêntricos nos citótipos A, B e C, com diferença no citótipo D que apresentou cístrons de 5S rDNA na região centromérica de um cromossomo metacêntrico e de um par de cromossomos acrocêntricos. Sequências teloméricas intersticiais (ITS) em posição centromérica em um cromossomo metacêntrico foram localizadas nos citótipos A e B, sugerindo a a ocorrência de fusões de cromossomos acrocêntricos na origem deste polimorfismo. Os rearranjos cromossômicos parecem ter se originado partir do citótipo com 2n=58 cromossomos com fusão de seis cromossomos acrocêntricos de um citótipo ancestral (citótipo D), podendo ser portadores de 5S rDNA em região centromérica, resultando em 3 cromossomos metacêntricos, o que dá origem aos citótipos contendo 2n=55 cromossomos (citótipo A e B). O evento de fusão cromossômica é corroborado pela presença de sequências teloméricas em região pericentromérica em um cromossomo nos citótipos A e B. As regiões de rDNA são favoráveis a recombinação, por propiciar fragilidade e permitem rearranjos.

Apoio: CNPq, CAPES, Fundação Araucária

Palavras-chave


5S rDNA; Fusões cromossômicas, ITS

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1suplp118

Direitos autorais 2018 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367