Ocorrência e comportamento sociodemográfico de pacientes com leishmaniose tegumentar americana em Vicência, Pernambuco, no período de 2007 a 2014

Patrícia Pereira Vasconcelos, Natália Jerônimo de Araújo, Francisca Janaína Soares Rocha

Resumo


A leishmaniose é uma doença negligenciada que está entre as cinco doenças infecto-parasitárias endêmicas de maior relevância. O trabalho teve por objetivo analisar a frequência e o perfil epidemiológico e sociodemográfico dos pacientes com Leishmaniose Tegumentar Americana e acompanhar as medidas de controle. Trata-se de um estudo quantitativo de caráter retrospectivo. Do total dos pacientes acometidos, verificou-se que 59,4% deles eram do sexo masculino, 33,5% possuíam idade menor do que 12 anos, 83,1 % eram pardos e 79,3% estudaram até o ensino fundamental incompleto. Observou-se que a maioria dos diagnósticos para leishmaniose tegumentar americana é emitido baseando-se apenas pelo critério clínico epidemiológico, tendo em vista que os exames parasitológicos e imunológicos foram raramente utilizados para diagnóstico. O maior foco da doença concentrou-se nas áreas de abrangência da Unidade da Saúde da Família (USF) do Imbu, correspondendo a 79,3% dos casos. Em relação às medidas de controle, observou-se que 69,2% dos profissionais possuíam conhecimentos sobre leishmaniose, 84,6% das unidades de saúde da família não desenvolviam programas de ação e estratégias, 76,9% dos profissionais não participaram de atividades educativas na comunidade, porém, há divulgação à população sobre a ocorrência dos casos de LTA (69,2%). Apesar da alta frequência da ocorrência de leishmaniose tegumentar americana no município, as USFs não estavam atuantes no que concernem as medidas de controle referente ao agravo e não participavam de programas de educação em saúde.

Palavras-chave


Epidemiologia; Saúde Pública; Diagnóstico; Leishmaniose Cutânea.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1p105

Direitos autorais 2017 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367