Onde estão os homens? O que os distanciam ou os aproximam dos serviços da atenção primária à saúde

Kelly Oliveira Santos, Edirlei Machado Dos-Santos

Resumo


Os homens não possuem comumente hábitos de práticas preventivas. Logo, ouvi-los tornou-se imprescindível para compreender as suas concepções que justificam tais atitudes. O presente estudo teve como objetivos identificar os motivos que os levam a procurar atendimento nos serviços da Atenção Primária à Saúde, e compreender os motivos que os afastam dos serviços da Atenção Primária à Saúde. Trata-se de um estudo de caso qualitativo, exploratório e descritivo. Participaram da pesquisa treze homens residentes no município de Vitória da Conquista (Bahia), na faixa etária de 25 a 59 anos. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e analisados por meio da técnica de Análise de Conteúdo Temática. Os resultados mostraram a forma como os homens concebem a saúde e como isto reflete em suas atitudes em relação à busca pelos serviços de saúde. Revelou também os fatores da aproximação e do afastamento do público masculino no cenário da Atenção Primária à Saúde que envolve concepções culturais e até mesmo questões institucionais. Portanto, o resultado deste estudo pode subsidiar os profissionais no desenvolvimento de estratégias para estimular e acolher a população masculina, considerando as limitações e barreiras singulares que este público apresenta.

Palavras-chave


Saúde do Homem; Atenção Primária à Saúde; Gênero e Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2017v38n1p79

Direitos autorais 2017 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367