Espécies silvestres alojadas no Centro de Triagem de Animais Silvestres/Acre: implicações conservacionistas

Jucilene Silva do Nascimento, Amanda Moura Badarane, Michelline Medeiros de Oliveira Dantas, Adenhauer Silva Urbanski, Elaine Christina Oliveira do Carmo, Vânia Maria França Ribeiro

Resumo


Resumo: Os Centros de Triagem de Animais Silvestres – CETAS são instituições que têm como função receber animais silvestres oriundos de cativeiros domésticos, apreensões dos órgãos fiscalizadores em operações de combate ao tráfico ou vítimas de acidentes ambientais, sendo 90,9% das unidades de responsabilidade do IBAMA e 9,1% de empresas privadas. O trabalho teve como objetivo realizar um levantamento das espécies de animais silvestres recebidos no CETAS de Rio Branco – Acre nos anos de 2010 a 2014, avaliando suas implicações conservacionistas. Durante esse período foram apreendidos 1.097 aves (47,2%), 720 répteis (31,0%), 498 mamíferos (21,4%) e cinco peixes (0,2%), totalizando 2.320 animais recepcionados, dentre eles, 0,6% estão presentes na lista de animais vulneráveis e ameaçados de extinção. A despeito das fiscalizações realizadas pelo IBAMA e policiamento ambiental, animais com risco de extinção continuam sendo retirados da natureza de forma predatória, sendo as aves as mais apreciadas que os demais grupos, considerando o número de animais recebidos pelo CETAS.

Palavras-chave


Órgãos ambientais; Resgate; Tráfico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2016v37n1p63

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367