Evolução da resistência de Klebsiella pneumoniae no Hospital Universitário de Londrina no período de 2000 a 2011

Diogo Jorge Rossi, Daniele Zendrini Rechenchoski, Ana Carolina Polano Vivan, Angélica Marim Lopes Dambrozio, Renata Perugini Biasi Garbin, Gerusa Luciana Gomes Magalhães, Regina Mariuza Borsato Quesada, Floristher Elaine Carrara Marroni, Marsileni Pelisson, Marcia Regina Eches Perugini, Eliana Carolina Vespero

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar a evolução da resistência a antimicrobianos em isolados clínicos de Klebsiella pneumoniae, no período de 2000 a 2011, no Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (HU-UEL). Foi realizada uma análise retrospectiva de 2.318 testes de sensibilidade aos antimicrobianos de K. pneumoniae, a partir de um banco de dados do setor de Microbiologia do Laboratório Clínico do HU. No período de 2000 a 2009, o principal mecanismo de resistência aos antimicrobianos ?-lactâmicos observado foi a produção de ?-lactamases do tipo ESBL (?-lactamase de espectro ampliado), que pode ser verificado pelo aumento da resistência de K. pneumoniae às cefalosporinas de 3ª geração e ao cefepime. No entanto, a partir de 2009 apareceram as primeiras cepas de K. pneumoniae produtoras de carbapenemase, comprometendo a eficácia dos carbapenêmicos. Os índices de resistência ao ertapenem variaram de 16%, em 2005, para 40%, em 2011. Outra classe de antimicrobianos comprometida foi a das fluoroquinolonas; para ciprofloxacina, os índices de resistência variaram de 13% a 62%, em 2001 e 2011, respectivamente. Os aminoglicosídeos tiveram oscilações de resistência durante o período estudado, chegando, em 2011, a valores de 56% e 30% para gentamicina e amicacina, respectivamente. Enquanto isso, sulfametoxazol/trimetoprim e piperacilina/tazobactam alcançaram cerca de 60%, nesse mesmo período. O aumento de resistência em K. pneumoniae neste hospital evidencia a necessidade de adequação do tratamento de infecções por este agente e de adoção de medidas apropriadas que visem ao controle de infecções, bem como ao uso adequado dessas drogas.

Palavras-chave


Klebsiella pneumoniae; ESBL; KPC; Resistência antimicrobiana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp267

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367