Avaliação e manejo da dor na criança: percepção da equipe de enfermagem

Débora Guedelha Blasi, Ligyana Korki de Candido, Mauren Teresa Grubisich Mendes Tacla, Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari

Resumo


Esta pesquisa objetivou analisar a percepção da equipe de enfermagem quanto à avaliação e manejo da dor realizados em um setor de internação pediátrica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, observacional, prospectiva e transversal. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada com a equipe de enfermagem do setor de internação pediátrica de um hospital universitário da cidade de Londrina – Paraná, no período de junho a agosto de 2009, e analisados conforme Mayan. Participaram da pesquisa 31 profissionais, sendo 4 enfermeiros e 27 das demais categorias de enfermagem. Verificou-se que menos da metade dos profissionais participou de cursos de capacitação para avaliação da dor realizados frequentemente no hospital. Entretanto, a maioria afirma realizar a avaliação da dor como 5º sinal vital em todas as crianças. A escala de faces é a mais utilizada pela equipe, embora apenas 44% tenha descrito corretamente a sua técnica de utilização. Outros profissionais ainda referiram não utilizar nenhuma escala para avaliar a dor. A principal dificuldade apontada pela equipe foi em relação à avaliação da dor em crianças menores. Quanto à avaliação da dor no setor de forma geral, a maioria acha que precisa melhorar, relatando que alguns profissionais não avaliam a dor em todos os horários, ou o fazem de forma incorreta. Ainda assim, todos consideraram a avaliação da dor de grande importância no cuidado da criança. Conclui-se que ainda falta conhecimento e conscientização sobre a dor na criança na equipe de enfermagem.

Palavras-chave


Medição da dor; Criança; Percepção; Equipe de enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp301

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367