Convivência familiar com a dependência decorrente do acidente vascular encefálico em hipertensos

Mislaine Casagrande Lima Lopes, Aliny Lima Santos, Sonia Silva Marcon

Resumo


Estudo descritivo de natureza qualitativa, que teve com objetivo compreender a experiência da família na convivência e cuidado ao familiar hipertenso com dependência decorrente do Acidente Vascular Encefálico (AVE). Utilizou-se para tanto, a Teoria Fundamentada nos Dados, junto a sete famílias que convivem com esta dependência, residentes em Maringá-PR. Os dados foram coletados entre março e julho de 2007, por meio de entrevistas abertas e observações não sistematizadas realizadas na residência do familiar. Emergiram as categorias: Convivendo com as sequelas do AVE: “sinto saudade de conversar com ela”; Enfrentando a reabilitação: “Então tem que lutar!” e Mudanças no cuidado à hipertensão após AVE: “Mudou principalmente a comida...”. O estudo desta temática contribui de forma significativa para o entendimento da família que convive com a hipertensão e a dependência em seu familiar, favorecendo a reflexão e a partir daí, possíveis mudanças nas atitudes profissionais relativas à assistência a este agravo.

Palavras-chave


Hipertensão; Família; Dependência; Acidente Vascular Encefálico; Cuidados de Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2014v35n1p75

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367