Influência do armazenamento de suspensão bacteriana na resposta inflamatória em camundongos

Larissa Staurengo-Ferrari, Alexandre Yukio Saito, Jacinta Sanches Pelayo, Sandra Regina Georgetti, Marcela Maria Baracat, Rubia Casagrande, Waldiceu Aparecido Verri Junior

Resumo


 

O preparo de suspensão bacteriana é procedimento importante para avaliação da inflamação e pode ser obtida por diferentes métodos que precisam ou não do passo de armazenamento. O objetivo deste trabalho foi investigar a influência do armazenamento de suspensão de Staphylococcus aureus na viabilidade bacteriana e sua influência na inflamação in vivo. A suspensão bacteriana de S. aureus ATCC 6538 foi preparada visualmente seguindo o grau 4 da Escala de McFarland. A viabilidade bacteriana nessa solução foi determinada pela contagem de UFC, a qual foi utilizada para induzir artrite séptica e peritonite. O armazenamento por 24 h reduziu as UFC de S. aureus. Essa redução da viabilidade bacteriana resultou em diminuição da hiperalgesia mecânica, edema e recrutamento leucocitário na artrite séptica, e recrutamento leucocitário e produção de citocinas na peritonite bacteriana. Estes resultados demonstraram que o armazenamento de suspensão bacteriana afetou sua viabilidade, resultando em diminuição da resposta inflamatória in vivo, sugerindo a importância de padronizar procedimentos para o preparo de suspensão bacteriana. Uma abordagem concebível seria determinar o número de UFC em um específico grau da Escala de McFarland, o qual permitirá o preparo e o uso de uma suspensão bacteriana no mesmo dia para os testes in vivo.


Palavras-chave


Escala de McFarland; Neutrófilo; Inflamação; Artrite séptica; S. aureus.

Texto completo:

PDF - Inglês


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2013v34n1p33

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367