Estudo da presença de síndrome metabólica e relação com o histórico familiar em escolares

Sandra Maria Barbalho, Adriana Mitie Kawakubo, Karen Gisele Ferreira de Souza, João Gilberto Traldi Junior, Claudemir Gregório Mendes, Fábio Maurizio Nery, Márcia Gabaldi Rocha, Ricardo de Alvares Goulart

Resumo


Este trabalho tem por objetivo avaliar a prevalência de Síndrome Metabólica (SM) e a influência do histórico familiar em estudantes de escolas públicas e privadas. Foram avaliados 337 alunos de 2 escolas públicas e 2 particulares do Município de Marília-SP. Foram colhidos dados de peso, altura, índice de massa corpórea, circunferência da cintura, pressão arterial e aferições bioquímicas em jejum de glicemia, colesterol total, HDL-c, LDL-c e triglicerídeos. Observou-se que dos 337 alunos avaliados, 18,4% apresentam a SM. Dos portadores de SM: 92,8% nas escolas particulares apresentavam histórico familiar e 85,3% nas públicas. Do total de alunos estudados, 15,4% eram obesos e 54,0% sedentários. A alta prevalência da SM nos adolescentes indica a possibilidade de apresentarem complicações cardíacas na fase adulta. Sendo assim, são necessárias medidas intervencionistas urgentes, abordadas por equipe multidisciplinar para que este grupo etário seja assistido integralmente para que se tornem indivíduos adultos mais saudáveis.


Palavras-chave


Adolescente; Obesidade; Glicemia; Lipídeos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2013v34n1p23

Direitos autorais 2016 Semina: Ciências Biológicas e da Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semina: Ciênc. Biol. Saúde

email: seminabio@uel.br

Londrina - PR
ISSN Print: 1676-5435

EISSN: 1679-0367