Influência do método de esterificação na quantificação de ácidos graxos em óleo de oliva

Maria Cristina Milinsk, Makoto Matsushita, Jesuí Vergílio Visentainer, Lucia Felicidade Dias, Margarida Masami Yamaguchi, Mayka Reghiane Pedrão, Nilson Evelazio de Souza

Resumo


Para a análise de ácidos graxos por cromatografia a gás, é necessário aplicar procedimentos de esterificação para converter os ácidos graxos em compostos mais voláteis, tais como esteres metílicos de ácidos graxos (EMAG). Métodos de esterificação normalmente se subdividem em categorias: Catálises ácidas e catálises básicas. Devido a possibilidade de obtenção de diferentes concentrações de ácidos graxos para a mesma amostra em função do método de esterificação utilizado, a eficiência de de oito diferentes métodos de esterificaçãoque envolvem catálises ácidas e básicas na determinação quantitativa de EMAGs em óleo de oliva foi avaliada. Os métodos selecionados foram descritos por Metcalfe, 1966 (MET); Bannon, 1982 (BAN); Joseph e Ackman, 1992 (JAC); Hartman e Lago, 1973 (HLA); Jham, 1982 (JHA); ISO 5509, 1978 (ISO); Bannon, 1982 (BBA) e Schuchardt eLopes, 1988 (SLO). Os resultados mostram a eficiência dos métodos de esterificações para os principais ácidos graxos saturados presentes no óleo de oliva analisado. Os mais eficientes métodos para a esterificação de ácidos graxos insaturados nos óleos analisados foram JAC, ISO, e BBA. Porém, o reagente BF3 em metanol, usado no método JAC é extremamente tóxico. Assim, quando o óleo a ser analisado tem baixa acidez, os métodos de catálise básica ISO and BBA podem ser usados no lugar dele, uma vez que são mais baratos e menos tóxicos. Os resultados obtidos mostram que a escolha do método para a análise dos ácidos graxos depende também da composição do óleo estudado.

Palavras-chave


Métodos de esterificação; ácidos graxos; óleo de oliva; cromatografia a gás

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0375.2011v32n2p139

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semin., Ciênc. Exatas Tecnol.

Londrina - PR

E-ISSN: 16790375

DOI: 10.5433/1679-0375

E-mail: seminaexatas@uel.br

 

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional