Tratamento biológico de água residuária da produção de farinha de mandioca utilizando reator anaeróbico compartimentado vertical (RACOV).

Gleyce T Correia, Vanildo L Del Bianchi

Resumo


No Brasil, a produção estimada de mandioca em 2007 foi de 25 milhões de toneladas (15% do total mundial) e boa parte é destinada à fabricação de farinha. Durante o processamento desta, são gerados resíduos potencialmente causadores de desequilíbrio ambiental, se descartados inadequadamente. Um dos resíduos líquidos gerados, a manipueira, é caracterizada por sua alta quantidade de matéria orgânica. Dentre as maneiras de tratamento deste efluente está o tratamento anaeróbio, que utiliza um reator anaeróbio compartimentado vertical (RACoV) inoculado com lodo granulado. Devido à presença de compartimentos, neste tipo de reator, as fases da biodigestão anaeróbia são separadas, possibilitando, ao reator, maior estabilidade e resistência a choques de carga. O RACoV foi construído com relação largura-altura de 1:2, e foram analisados pH, acidez, alcalinidade, turbidez e remoção de DQO em 6 diferentes pontos do reator, que operou com alimentação crescente de 2000 para 10000 mg DQO.L-1, e TRH entre 6,0 e 2,5 dias. O RACoV apresentou acidez e turbidez decrescente, aumento de alcalinidade e de pH, e eficiência na remoção de DQO de até 96% com TRH de 3 dias e DQO de entrada de 3800 mg L-1.


Palavras-chave


Desenvolvimento de reatores; Biodigestão anaeróbia; Manipueira; Reator compartimentado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0375.2008v29n2p159

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Semin., Ciênc. Exatas Tecnol.

Londrina - PR

E-ISSN: 16790375

DOI: 10.5433/1679-0375

E-mail: seminaexatas@uel.br

 

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional