Fatores que Interferem na Produção de Dextrana por Microrganismos Contaminantes da Cana-de-Açúcar

Antonio Sérgio de Oliveira, Danilo Antonio Rinaldi, Carolina Tamanini, Cristiano Elemar Voll, Maria Celia Oliveira Hauly

Resumo


Dextranas são polímeros de glicose produzidos a partir de sacarose principalmente por bactérias do gênero Leuconostoc. Dextranas apresentam peso molecular alto e ligações glicosídicas, principalmente, do tipo a (1®6). A penetração de microrganismos no colmo, através de rachaduras, contamina a cana formando dextranas, cuja presença afeta a qualidade do açúcar e a eficiência industrial. Ocorre perda de sacarose, aumento da viscosidade do caldo e dificuldade de filtração no processo industrial. Visando a melhorar a qualidade do açúcar e a eficiência industrial, os objetivos deste trabalho foram isolar cepas produtoras de dextrana e; correlacionar o tempo de queima com o índice de infecção e a concentração de dextrana no caldo de cana. Microrganismos produtores de dextrana foram isolados do caldo de cana, durante as safras 97/98; 99/00 e 2001. As cepas isoladas e Leuconostoc mesenteróides, foram cultivados em caldo MRS durante 72 horas a 28ºC com agitação de 180rpm. A dextrana foi determinada por espectrofotometria a 485nm. Entre as cepas isoladas, três se salientaram quanto à produção de dextrana, sendo a produção média 390mg%. Observou-se que tempo de queima maior que 72 horas propicia maior contaminação e aumento de dextrana, implicando na redução da eficiência industrial. Com 88 horas de queima o índice de infecção foi de 89 x 105 UFC/mL, a produção de dextrana 468,25ppm e a eficiência industrial 74,83%.


Palavras-chave


Leuconostoc mesenteroides; Produção de dextrana; Tempo de queima.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0375.2002v23n1p93

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Semina: Ciências Exatas e Tecnológicas/

Semina: Exact and Technological Sciences
Londrina - PR
ISSN Impresso/Print ISSN: 16765451

ISSN Eletrônico/EISSN: 16790375